Cinderela, filme-musical com Camila Cabello, é uma releitura do conto de fadas

Cinderela, filme-musical com Camila Cabello, é uma releitura do conto de fadas

Depois de tantas versões para o cinema e a televisão desta história, você, assim como eu, pode torcer o nariz quando ouve que Cinderela é o nome do filme. Entretanto, o filme-musical estrelado pela cantora pop Camila Cabello, lançado em setembro de 2021 no Brasil e com direção e roteiro de Kay Cannon, é uma releitura moderna do tradicional conto de fadas, popularizado pela Disney, e traz várias surpresas. A nova versão de Cinderela foi produzida pela Sony e está no catálogo da Amazon Prime Vídeo.

Camila Cabello como Cinderela

Os personagens principais estão lá: o príncipe Robert, protagonizado por Nicholas Galitzine; o Rei Rowan vivido pelo ator Pierce Brosnan; a rainha Beatrice vivida pela atriz Minnie Driver e a irmã do príncipe, a princesa Gwen (Tallulah Greive). Temos a madastra Vivian (Indina Menzel), as irmãs de Cinderela e a pobre orfã Cinderela (Camila Cabello), que passa seu tempo trabalhando no porão, na companhia de 3 ratinhos.

Família real: Gwen, Beatrice, Rowan e Robert.

Nesta nova versão do conto de fadas, os produtores criaram uma Cinderela feminista e empreendedora, que busca realizar seus próprios sonhos e não depender de um príncipe encantado para ser feliz. Ela tem o desejo de ser estilista, faz seus próprios designs, costura e procura vender suas criações na aldeia. É uma jovem decidida.

Cinderela, o musical

Na cena clássica da Fada madrinha quem aparece é Billy Porter, com um vestido amarelo, como no papel do “fado madrinho” Fab G. O príncípe Robert também questiona seu futuro, pois não quer se casar por interesse e ter seu futuro definido pelo rei.

Billy Porter (Fado Madrinho)

A busca do príncipe pela dona do sapato de cristal, após o baile, não temina com um sim. “Eu escolho você para ser minha princesa”, diz o príncipe Robert. “E quanto ao meu trabalho? Uma vida presa no camarote real não é muito diferente de uma vida confinada em um porão”, responde Cinderela. Como isso continua ? Você precisa assistir para saber. Mas, não é só Cinderela que busca reconhecimento e mais espaço na realidade de um mundo machista: a rainha Beatrice e a princesa Gwen também querem mais protagonismo e serem ouvidas.

Cinderela e seu fado madrinho

A trilha sonora é um diferencial muito positivo da filme, pois inclui novas versões de sucessos como “Sweet dreams” (Eurythmics), “You gotta be” (Des’ree), “Material girl” (Madonna), “Somebody to love” (Freddie Mercury), entre outras. Nada de valsas ou música clássica. As coreografias e as interpretações são outros dois pontos fortes do musical.

Príncipe Robert (Nicholas Galitzine)

O final desta Cinderela não segue o padrão. Por isso, vale a pena assistir. Claro que não vou contar o final!

Esta nova abordagem da história da Cinderela promete encantar tanto os fãs tradicionais do conto de fadas quanto uma nova geração de espectadores em busca de narrativas mais inclusivas e inspiradoras.

Leia também:

Ninguém Pode Saber: uma minisérie de suspense da Netflix

Resenha: Lemon Dou, uma bebida que une vodka, limão e sal

4 ótimos motivos para assistir a série Jack Ryan, da Prime Video

Compartilhar esse artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *