sábado, 13 de agosto de 2022

De volta à estrada: resenha do restaurante japonês Kanajiro

Com esse momento de fim de pandemia, no qual estamos de volta às ruas, retornei às minhas resenhas de restaurantes japoneses. Por isso, vou contar aqui sobre o almoço no restaurante Nakajiro Sushi, localizado no Alto da Lapa. 


Fui com a minha companheira inseparável, minha irmã, que foi a pessoa que indicou, pois ela trabalhava na região.

Fomos em um domingo e o Kanajiro Sushi não estava cheio. O local não é grande, mas é confortável e moderno. Oferece duas opções de rodízios, o básico e um premium. Como não comemos ostras ou polvo, preferimos experimentar o básico, que é muito bem servido. 

Gostamos muito dessa nova onda de serviço com entradinhas, com ceviche, sunomono, canapés e sushis maçaricados, acompanhados de molhos agridoces (o primeiro rodízio que experimentei esse conceito de entradas diferenciadas foi no Aoyama e tenho visto que se expandiu). 

Entradas no Kanajiro

  
outro ângulo das entradinhas 

O salmão é bem fresco, o shimeji delicioso, assim como os demais pratos quentes: guioza, salmão grelhado e camarão empanado (para quem gosta e pode comer).  

Guioza frito, rolinho primavera, camarão empanado


shimeji e cebolinha

tempurá de legumes

A carta de drinks/coquetéis é bem interessante e escolhi o Sunrise, preparado com tequila, suco de laranja e xarope de granadine.

Coquetel sunrise

Uma das novidades que vi nos restaurantes japoneses nesta volta é o sashimi servido na pedra de sal do himalaia, com molho e raspas de limão.

Fatias de salmão servidas no sal do himalaia

Bandeja com sushis variados e sashimis

tem sobremesa incluída no rodízio: sorvete

É um restaurante gostoso, com ótimo atendimento. Tem vagas de estacionamento na frente do local e não precisamos pagar valet (uma boa economia). Eu voltaria lá, com certeza.

Drinks são minha paixão


sexta-feira, 12 de agosto de 2022

Série Orange is the new black: quem é a chef Judy King na vida real?

Neste post eu apresentei alguns dos principais personagens de Orange is The New Black, mas o elenco é extenso. Ao assistir as 7 temporadas da série, tem uma presa-celebridade que chega na 5ª temporada: a chef Judy King (Blair Brown), condenada por sonegação de imposto. 

chef Judy King (Blair Brown)

Ainda vou escrever sobre o fato de a narrativa do livro ser muito diferente da série, mas de fato teve uma "chef" que foi condenada na época? Você sabe quem é essa chef? A toda poderosa apresentadora de TV Martha Stewart. 

Martha Stewart

Enquanto na série, a personagem Judy vai para a prisão de Lichtfield, Martha não i ficará encarcerada em Danbury, o nome da penitenciária. Diz um trecho do livro "no dia 20 de julho, Martha Stewart foi condenada a cinco meses num presídio e cinco meses de prisão domiciliar, uma típica "sentença" dividida, aplicada a criminosos de colarinho branco, mas bem abaixo da pena máxima aplicada àquele tipo de crime". Confesso que jamais pensei que a sorridente e elegante Martha tivesse passado por este tipo de perrengue. 

Apesar de Martha ter solicitado ser enviada para Danbury para que sua mãe de noventa anos pudesse visitá-la. Chegou até a conversar com uma ex-detenta de lá para saber como era a vida por lá. 

Martha Stewart

Na opinião da Piper Kerman (a real), os administradores de Danbury fecharam por um longo tempo na admissão de novas presas para evitar que Martha fosse "morar" sob o teto. Piper escreve "o pavilhão tinha sido "fechado" para novas presidiárias desde a condenação de Stewart, supostamente "lotado", embora tivéssemos cada vez mais camas vazias a cada semana que passava".    

Por isso, todos os acontecimentos em torno da personagem Judy King na série Orange Is the New Black (Netflix) foram totalmente criados pela equipe de roteiristas do programa, incluindo o caso que Judy tem com o guarda Joel Luschek (Matt Peters), todo o tratamento vip recebido e a crise com as outras detentas durante a rebelião.  

Judy King e Luschek (sentados)


quinta-feira, 11 de agosto de 2022

Pimentões recheados cheios de cor deixam a refeição mais saborosa

Os médicos recomendam que os pratos consumidos nas refeições tenham uma grande variedade de cor. Isso porque quanto mais cores mais ingredientes variados. Pensando nisso, o chef Melchior Neto preparou uma receita que combina cor e sabor com pimentões recheados e é uma refeição completa. 

Confira o passo a passo!

Pimentões alongados coloridos e recheados

Por chef Melchior Neto, do Gema Restaurante (Santo André – SP)

INGREDIENTES
8 pimentões alongados coloridos
500g de frango desfiado
1 xícara (chá) de arroz
100g de gorgonzola
100g de parmesão
2 xícaras (chá) de molho de tomate
300g de tomate cereja em rama
Sal e pimenta do reino
Azeite 

MODO DE PREPARO
Corte os pimentões ao meio para usar como tampa, lave bem e reserve. Em uma tigela misture o frango, o arroz cru, os queijos e uma xícara de molho de tomate. Tempere com sal e pimenta, misture bem e recheie a parte de baixo de todos os pimentões usando a outra parte como tampa. Prenda com palitos e leve todos os pimentões para um refratário junto com o raminho de tomates, que dará um toque especial no seu prato. Regue com azeite, sal, pimenta do reino moída e coloque o molho por cima com colheradas para ficar bem colorido. 

Leve ao forno pré-aquecido 180° por 40 minutos. Sirva com pão semi italiano e folhas verdes.

Serviço:
Gema Restaurante
Endereço:
 Rua das Paineiras, 378 – Jardim, Santo André– SP
Horário de funcionamento: das 11h às 19h
Delivery e Drive Thru: 4436-3773/ 94357 8437 (Whatsapp)

Você também vai gostar de provar um Cuscuz Paulista no pote.

segunda-feira, 8 de agosto de 2022

Saia do básico na cozinha: arrozes diferentes provenientes de diversas partes do mundo possibilitam incrementar o cardápio todos os dias

Apesar de o arroz branco ser o mais tradicional e conhecido no Brasil, existem no mundo mais de dois mil tipos deste grão, considerado a base alimentar de diferentes culturas, de países como Canadá, França, Índia, China, Itália, Japão e Tailândia. Veja as dicas enviadas pela marca Tio João:

Arroz Selvagem – Cozinha Canadense

Conhecido popularmente como arroz selvagem, o grão encanta pela aparência, aroma e sabor diferenciado. Com seu delicado sabor de nozes, o arroz de formato exótico é indicado entre os chefs de cozinha para incrementar e sofisticar receitas. Além disso, é rico em magnésio, fósforo, folacina e vitaminas do complexo B.

Dica de uso: o arroz selvagem pode ser usado como base para saladas, misturado a ervas aromáticas, castanhas trituradas e frutas secas.


Arroz Preto – Cozinha Chinesa

Chamado originalmente pelos chineses de “Arroz Proibido”, o arroz preto não tem apenas a aparência e sabor como diferenciais, mas também traz benefícios à saúde. Considerado um superalimento, este tipo de arroz é rico em flavonoides, composto antioxidante, tem 20% a mais de proteína e 30% a mais de fibras que o arroz integral.

Dica de uso: sirva com frutos do mar (lula, polvo ou camarão) e finalize com raspas de casca de laranja ou limão, para deixar a refeição com um toque cítrico.


Arroz Vermelho – Cozinha Francesa

O grão, pertencente ao subgrupo integral, tem textura firme e é repleto de fibras, proteínas, vitaminas e sais minerais. Além de ser uma ótima opção para acompanhar carnes vermelhas ou frutos do mar, tem destaque em pratos gourmet por seu sabor amendoado e aspecto diferenciado.

Dica de uso: para aromatizar a receita e finalização do prato, o arroz pode ser acompanhado com ervas, como salsinha, cebolinha, manjericão ou tomilho.



Arroz Basmati – Cozinha Indiana

Arroz Basmati, que em tradução livre, significa “a rainha da fragrância ou pérola dos aromas”, tem um delicioso aroma e o sabor suave de nozes.  Sua forma fina e alongada deixa a receita ainda mais atraente.

Dica de uso: para reforçar ainda mais o sabor do arroz, no momento de refogar a dica é adicionar especiarias como: canela em pau, pimentas secas, sementes de mostarda ou cravos da Índia.




Arroz Carnaroli – Cozinha Italiana



O grão é ideal para a preparação de risotos ou paellas, sopas e diversas sobremesas. Além de liberar uma pequena porção de amido durante o cozimento, o arroz italiano tem grãos largos e grandes que absorvem muito mais água e o sabor dos temperos, deixando a receita cremosa e soltinha, com textura amanteigada.

Dica de uso: o risoto, para ficar mais saboroso, pode ser acompanhado com frutos do mar ou legumes. Ainda, pode acrescentar temperos como açafrão ou ervas frescas.


Arroz Sasanishiki – Cozinha Japonesa

Seu diferencial está no frescor, no sabor delicado e neutro, na textura úmida e nos grãos unidos e macios, que podem ser modelados durante a preparação de pratos orientais, como variados tipos de sushi.

Dica de uso: para deixar ainda mais saboroso e com gostinho oriental, o arroz pode ser acompanhado de ingredientes como o vinagre, missô, shoyu e saquês.


Arroz Aromático Jasmine – Cozinha Tailandesa


Famoso por acompanhar pratos apimentados e frutos do mar, o arroz do tipo Jasmine é mais delicado e perfumado do que os demais arrozes e é perfeito para diversificar as receitas.

Dica de uso: o aroma pode ficar muito mais perfumado e saboroso, juntando um pau de canela ou um pedaço de gengibre à água do cozimento do arroz.

Para conferir receitas com estes e outros arrozes, acesse: https://tiojoao.com.br/receitas/ .

 

Para mais informações e para adquirir os produtos da marca Tio João, acesse: https://www.armazemtiojoao.com.br/ .


Veja também a receita de arroz de forno

sábado, 6 de agosto de 2022

Resenha de bebida: Limoncello e Mandarinello Salvatore Longobardo

O Limoncello é uma bebida de origem italiana, feito com casca de limão siciliano, álcool de cereais, açúcar e água. Ele entra na categoria de licor, um digestivo tomado ao final das refeições. Se você pesquisar na web, vai encontrar receitas, como está do chef Giuseppe Gerundino.

A primeira vez que comprei um limoncello foi no Eataly, faz um bom tempo, mas não lembro a marca. Hoje, vou falar do Limoncello Salvadore Longobardo e a versão fita de tangerina, o Mandarinello da mesma marca, produzidos artesanalmente. 

Mandarinello Salvatore Longobargo

Eu os comprei durante a pandemia, nas vendas on-line realizadas no site da Feira Sabor Nacional (confesso que não fiz as fotos dos 2 juntos, pois não tinha pensado em escrever este post). Estas bebidas são vendidas em garrafas de vidro levemente fosco e tem 28% de graduação alcoólica. Eu os mantenho guardados no freezer. Eles são considerados licores artesanais.

Limoncello Salvatore Longobardo

Claro que eu não bebo o limoncello e o mandarinello naquela taça padrão de licor. Eu acrescento bastante gelo para saborear bem geladas (só sobrou fazer foto com a garrafa quase vazia).
 
O Mandarinello é um líquido alaranjado, sabor cítrico mais forte, ácido e um leve amargor. Já o Limoncello é bem mais leve e adocicado. Os dois são refrescantes, ainda mais com a adição de bastante gelo, um recurso que uso para deixar bem geladinho, com suas notas cítricas mais diluídas, assim como o teor ´alcoólico.


Nunca fiz drinques com eles. Se você nunca tomou antes, recomendo que compre primeiro o Limoncello. Vale a pena tê-los em casa? Com certeza! 

Eu estou de olho para comprar o Limoncello da marca Baccio di Latte para conhecer também e descobrir os segredos desta tradicional bebida italiana.

Beba com moderação!

terça-feira, 2 de agosto de 2022

Em parceria exclusiva, TOK&STOK apresenta a Cozinha Encantada de Raíza Costa

Linha de móveis e acessórios assinados pela confeiteira tem os sentidos como inspiração


Se você é daqueles que adoram deixar a criatividade rolar solta na cozinha, a Tok&Stok tem uma novidade deliciosa! Em parceria com a diretora criativa e chef de confeitaria Raiza Costa, a marca apresenta a campanha A Cozinha Encantada de Raíza Costa para Tok&Stok – que já está disponível nas lojas, no e-commerce e no aplicativo da marca. A linha conta com utensílios de cozinha e móveis com uma identidade visual única, que refletem a estética de Raíza e encantam todos os sentidos. São 40 itens ao todo, com preços entre R$ 15,90 e R$ 3.599,00.

A coleção, que traz itens que Raíza considera essenciais na cozinha, foi dividida em quatro categorias: para preparar, para servir, para organizar e para receber, com produtos como louças, bandejas, panos de prato, espátulas, marmitas, banquetas e prateleiras. Desenvolvidos ao longo de dois anos, os itens foram inspirados nos sentidos e nas formas do corpo humano, em especial de nariz, boca, olhos, mãos e orelhas. “Partimos do conceito básico de que a cozinha trabalha os nossos sentidos. Cozinhar é uma das poucas atividades que fazem a gente usar todos eles ao mesmo tempo: o cheiro de um refogado, o barulhinho de uma casquinha crocante…” explica Raíza sobre seu caminho criativo.


Dos desenhos das louças à forma dos móveis, todos os detalhes dos produtos foram pensados para tornar a cozinha um ambiente mais colorido, interessante e que incentive criações culinárias criativas. “A única coisa proibida na nossa coleção era ter algo que não fosse colorido”, conta Raíza, que se focou na paleta de cores com vibe retrô que já é sua marca registrada, como verde menta, rosinha, tons de vermelho e dourado.

“Tudo que a gente mais gosta é a nossa casinha, o lugar da gente ser feliz, da gente amar e compartilhar. A minha casa é meu refúgio, é a coisa mais importante da minha vida. Costumo falar que ela pode proporcionar mais conforto do que qualquer viagem,” comenta Raíza. “Por isso, quando tive a oportunidade de trabalhar com a Tok&Stok, fiquei muito feliz! Queria criar uma linha que realmente remetesse à minha estética e personalidade. Eu sou a garota do Caleidocolor, eu amo cores vibrantes e sempre tive uma cozinha integrada, porque, já que vivo nela, preciso conseguir socializar ao mesmo tempo! Por isso nessa campanha, com a ajuda a Tok&Stok, eu quis trazer cor, individualidade e vida aos objetos de cozinha,” finaliza .


Na Cozinha Encantada nada é óbvio e todas as peças são também obras de arte, com estampas e linhas que podem ser vistas e interpretadas de diferentes ângulos. “Mesmo quando vemos uma estampa de florzinha, por exemplo, ela traz de maneira orgânica referências ao corpo humano”, conta Raíza. Cada mínimo detalhe dessa linha inspira ideias fantásticas, como o prato que é quadro e a louça que é abajur. As peças são maximalistas, têm um jeitinho vintage, dando um toque de personalidade, encanto, magia e charme a qualquer espaço.

“O que a gente mais queria com essa coleção era trazer um pouco da minha cozinha para o público. Minha cozinha é muito colorida, viva, realmente encantada e queremos convidar todo mundo a ter uma parecida”, conclui Raíza.



sexta-feira, 29 de julho de 2022

Receita: como fazer Batata Rosti

Ideal para servir como acompanhamento ou petisco, a receita fica pronta em apenas 30 minutos

Versátil, a Batata Rosti pode ser servida como entrada, acompanhamento ou até mesmo como petisco para receber os amigos em casa. A Tirolez, uma das mais tradicionais marcas de laticínios do Brasil, sugere uma receita irresistível dessa iguaria, que traz o Queijo Estepe Tirolez como um dos ingredientes.

Confira abaixo o modo de preparo:

Modo de preparo


5 batatas grandes descascadas
1 pitada de sal
Pimenta-do-reino preta moída a gosto
1 cebola descascada e cortada em rodelas
1 colher (sobremesa) de manteiga
1 ½ xícara (chá) de Queijo Estepe Tirolez ralado
Pimenta calabresa a gosto
2 colheres (sopa) de azeite

Modo de preparo

­- Em uma panela, cozinhe as batatas com água fervente por, aproximadamente, 15 minutos (até que fiquem ligeiramente cozidas);

- Rale as batatas em ralador grosso e tempere com o sal e a pimenta. Reserve;

- Em uma frigideira, grelhe a cebola na manteiga, até ficar bem dourada. Desligue o fogo e acrescente o queijo estepe e a pimenta calabresa;

- Em uma frigideira pequena, coloque entre duas e três colheres de sopa de batata ralada. Em seguida, coloque duas colheres de sopa do recheio e cubra com mais duas ou três colheres de batata ralada. Aperte bem para formar um bolinho achatado e deixe grelhar dos dois lados.

Rendimento: 6 porções
Tempo de preparo: 30 minutos

Que tal experimentar uma receita de batata gratinada com queijo? Então, clique aqui e se delicie.