Degustando azeites espanhóis e aprendendo

Degustando azeites espanhóis e aprendendo

“Azeite sua vida!”. Este é o tema que a Embaixada da Espanha escolheu para a campanha que está realizando para divulgar os azeites de oliva espanhóis no Brasil e ensinar sobre o uso deste ingrediente nos mais diversos pratos – e não só nas saladas, como estamos mais acostumados! Pode ser usado em massas, peixes, sobremesas…



É possível fazer uma comparação da degustação de azeites com a que realizamos com vinho (é claro que a apreciação da bebida tem ainda mais sutilezas). Mas, é preciso sentir o aroma do azeite, seu sabor, sua acidez, sua leveza ou intensidade. Devemos ficar ainda atentos às embalagens e também ao armazenamento. 

Super-agradável, o evento foi realizado no Mani, no dia 10 de setembro,em São Paulo, com criações assinadas pelo chef Daniel Redondo para o e-book do Azeite de Oliva Espanhol (download no link) – tudo estava uma DELÍCIA. No final do post tem foto da sobremesa maravilhosa: Pudim de Laranja com azeite de oliva e sagu – um mix de texturas e sabores.


Por ser a minha primeira degustação, sei que ainda tenho muito a aprender! Mas, foi bem interessante provar, molhando um pedaço de pão no azeite e conversar.   


As marcas de azeites que participaram deste evento são: La Espanõla (já à venda no Brasil), La Rambla (à venda apenas no Rio de Janeiro e Salvador, por enquanto), Mueloliva, (marca que chegou ao Brasil tem uns dois meses), CooSur, Hojiblanca, Carbonell (a marca mais conhecida no mercado brasileiro), entre outras.      

O azeite é um pilar importante da dieta mediterrânea, sendo uma excelente fonte de ácidos graxos, antioxidantes e ômegas 3 e 6. Picual, Cornicabra, Hojiblanca e Arbequina são as principais variedades de azeitonas usadas na fabricação de azeites.

Azeite La Ramblia
   

Quer anotar algumas dicas para comprar?

– de preferência, o vidro de azeite deve ser escuro, pois a cor protege o líquido da ação dos raios solares;

– o bico dosador, além de ajudar no controle da quantidade, reduz o contato do azeite com o ar, pois o oxigênio oxida o azeite (envelhece e vai deixar rançoso com o passar do tempo);

-não deixe o azeite em lugar quente ou sob o sol, para evitar acelerar o processo de envelhecimento;

– Azeite em lata? Ele tem sua utilidade em restaurantes, pois este é um local em que existe maior risco de acidentes (as pessoas derrubam as embalagens). Esta também é uma embalagem útil para cozinhas profissionais (tem uma destas latas grandes na foto acima). Mas, evite ir num restaurante onde a latinha do azeite está lá na mesinha tomando sol…já deve estar ruim (rsrs)   

– A acidez do azeite deve ser de até 0,5% – essa informação está na embalagem.

– Existem azeites produzidos com combinações das variedades de azeitonas. Eles são um pouco mais baratos. 

Sobre os sabores? Paladar é uma aspecto muito pessoal, mas como este post já está grande, escreverei outro depois com os azeites espanhóis que ganhei no evento. Aguardem!


Azeites Hojiblanca, Coosur e Carbonell


       

Pudim de Laranja com azeite de oliva e sagu: receita no site: www.azeite.com.br 


Compartilhar esse artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *