sexta-feira, 10 de dezembro de 2021

Resenha: Por que a série Remedy acabou?

Séries médicas costumam fazer muito sucesso. Os casos médicos e amorosos dentro de hospitais rendem seriados com muitas temporadas, como ER e Grey´s Anatomy. Por isso, produções sobre o tema que são interrompidas logo no começo chamam a atenção. 

Nesta leva de séries canceladas temos Remedy, uma produção canadense, lançada em 2014 e que teve 2 temporadas, no total de 20 episódios. Aqui tem spoiler. OK?


A série gira em torno da família do Dr. Allan Conner (Enrico Colantoni), cirurgião chefe do Broadview Hospital. Junto com ele, trabalham Sandy (Sarah Allen), uma enfermeira, e Melissa (Sarah Canning), uma cirurgiã. Junta-se ao grupo o terceiro filho: Griffin (Dillon Casey), desajustado, usuário de drogas e que abandonou a faculdade de Medicina, mas tenta voltar à normalidade e aos estudos. 

A mãe deles é uma advogada alcoólatra e que se separou para assumir um relacionamento lésbico (a companheira nunca apareceu no seriado, foi apenas citada). 

É claro que podemos nos perguntar se algum hospital deixaria tanta gente de uma mesma família trabalhando juntas e, até mesmo, deixando de lado os limites da ética para se protegerem.

Griffin, Dr. Allan, Sandy e Melissa

Por que a série teve baixa audiência? Particularmente, a família desajustada estava muito mais preocupada com eles mesmos, do que com os pacientes, bem coadjuvantes na história (vale lembrar, como contraponto, os casos de House, o ambiente intenso de Plantão Médico ou Chicago Med). As crises de Griffin e suas recaídas cansam. No final, os personagens se parecem bem egoístas e o universo hospitalar fica em segundo plano.

Brian e família Conner


Dr. Brian Decker (Matt Ward), o primeiro da foto acima, tinha um relacionamento com Sandy, que desiste do casamento na última hora, mesmo estando grávida. Ele não volta na segunda temporada e, mesmo com a bebê que nasceu, Dr. Brian não é sequer mencionado ao longo dos episódios (virou pó).  

Faltou um elenco de apoio médico que não orbitasse em torno da família Conner, que desafiasse, que introduzisse outros dramas na história. 

Os personagens do núcleo de limpeza e manutenção do hospital trazem alguma movimentação à rotina com Zoe Rivera (Genelle Williams) que se envolve com Griffin, fazem greve em busca de direitos e para proteger uma funcionária que foi demitida (Lonnie Masterson, vivida por Stephanie Belding).

Alguns personagens poderiam ter suas histórias de vida mais exploradas, como o rapaz da limpeza e maqueiro Bruno Dias (Diego Fontes), que era médico em seu país de origem.  E, até mesmo Lonnie, que era portadora de HIV. Bem, o produtor e o roteirista não conseguiram ir além da família e a série não vingou.    

Zoe e Lonnie

Quer mais dicas sobre resenhas de séries?  A dica é Por que Shades of Blue é uma série ruim?

Nenhum comentário:

Postar um comentário