Sem desperdício nas festas de fim de ano: saiba como guardar o que sobrou

Sem desperdício nas festas de fim de ano: saiba como guardar o que sobrou

*Elaine Cristine de Souza Martins

As festas de fim de ano nos presenteiam com uma variedade de pratos deliciosos. As sobras se forem armazenadas sem o cuidado necessário, podem trazer alguns inconvenientes e comprometer a saúde de quem as consumir. Preparei algumas dicas valiosas para garantir que as sobras sejam guardadas com segurança, mantendo tanto a qualidade nutricional, quanto o bom sabor.  

O primeiro ponto extremamente importante a considerar é tentar planejar a quantidade de alimento adequada para o número de pessoas que vão consumir aquela refeição e, desta forma, evitar que sobre muita coisa. O segundo ponto é levar à mesa quantidade suficiente e não excesso, pois o que sobrar dentro da cozinha, na temperatura adequada estará mais seguro para o armazenamento. O que já está na mesa para servir ficará muito tempo exposto, onde terá contato com talheres já utilizados pelas pessoas, talvez alguns insetos pousados, mãos sujas, saliva, cabelos, etc.  

Mesmo assim, existindo sobras, é muito importante considerar que apenas devem ser guardados para consumir depois, os alimentos que estiverem em boas condições. Se souber que irá consumir logo, pode armazenar na geladeira, mas caso contrário, deverá congelar. O prazo de validade deve ser o seguinte: 

Em geladeira: carnes cruas 3 dias; pescados cozidos 1 dia; carnes cruas temperadas 1 dia; demais carnes cozidas e comida pronta 3 dias. 

No congelador (para geladeiras de 1 porta): comidas caseiras prontas 10 dias. 

No freezer: comidas caseiras prontas: 30 dias; carnes cruas: 30 dias.  

É importante respeitar os prazos de validade indicados nas embalagens, quando houver, e lembrar de que um alimento descongelado não deve ser recongelado. Por isso, é recomendado congelar em pequenas porções para facilitar o consumo e evitar desperdícios. Outro ponto de destaque é que alguns alimentos não devem ser congelados, como, por exemplo, verduras cruas, maionese, batatas, alimentos fritos em óleo e pudins cremosos à base de amido. 

Os alimentos para serem congelados precisam estar em embalagens adequadas, onde não tenham contato com o ar. Optar por embalagens bem vedadas, como recipientes de vidro e potes plásticos com tampa e sacos de alimentos, é o correto. Especialmente quando os alimentos estiverem quentes, o ideal é colocar em recipientes de vidro, assim como evitar aquecer alimentos nas embalagens plásticas.  

O descongelamento seguro deve ocorrer sob refrigeração ou micro-ondas, nunca à temperatura ambiente, pois os micróbios e bactérias se multiplicam muito rápido na temperatura ambiente, o que pode fazer com que o alimento não seja mais seguro para consumir. Ao seguir essas orientações, você evita o desperdício e garante que as sobras das festas de fim de ano permaneçam seguras, saborosas e nutritivas por mais tempo. Desfrute da temporada sem preocupações e riscos de contaminação! 

*Elaine Cristine de Souza Martins é nutricionista. Mestranda do Programa de Pós Graduação em Alimentação e Nutrição da UFPR, professora do curso de Nutrição na Uninter. 

Compartilhar esse artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *