quarta-feira, 27 de abril de 2022

Conheça as Bijouxtechs: Projeto TechGirls cria acessórios únicos e promove inclusão

 São brincos, colares e pulseiras desenvolvidos artesanalmente e que estimulam criatividade, autonomia financeira e sustentabilidade


Para mulheres descoladas que apreciam joias e acessórios, as bijouxtechs – brincos, colares e pulseiras, entre outros acessórios exclusivos, feitos do reuso consciente de componentes de computadores, o chamado lixo eletrônico – são ótimas opções de presente. As peças derivadas de matérias-primas que não oferecem risco ao contato com a pele são criadas pelas alunas do Projeto TechGirls sob a orientação da artista plástica e professora Simoni Uaska.

Entre os principais itens usados na produção dessas joias estão os microprocessadores, placas de memória RAM e teclados de computadores em desuso que, ao invés de serem descartados, recebem um novo significado compondo um look que, além de moderno, alia design, moda, sustentabilidade, e contribui, ainda, com a geração de renda e autonomia financeira de outras mães e artesãs que as produzem.

Para atingir um padrão de qualidade, as bijouxtechs – marcas registradas – passam por um processo que envolve equipamentos como retífica, estação de solda para placas eletrônicas e lixas de diferentes gramaturas.

“As bijouxtechs foram pensadas como uma parte estratégica do Projeto TechGirls, que desde 2017, vem transformando a vida de centenas de mulheres em situação de vulnerabilidade social por meio de cursos e formação em tecnologia”, comenta Gisele Lasserre, CEO e Fundadora do Projeto.

Os produtos do TechGirls são comercializados no site do projeto http://techgirls.com.br/decortech, e nas plataformas Magalu e OLX. A arrecadação das vendas dos produtos é revertida para pagamento dos materiais, ferramentas e logística das doações, bem como na triagem dos materiais e armazenamento.

 

Sobre o Tech Girls

Criado em 2017, o Tech Girls é um negócio de impacto socioambiental focado na empregabilidade em tecnologia e geração de renda. Por meio da Metodologia de Ensino Afetivo em Tecnologia, que alia afeto ao aprendizado de software e hardware, o projeto conta com aulas desenhadas para facilitar o aprendizado das mulheres, desde o nível inicial até a formação em hard skills tecnológicos. Com isso, capacita e torna acessível o conhecimento em tecnologia, auxiliando na criação de negócios digitais, autonomia para o uso pleno de computadores e celulares e acesso ao mercado de trabalho em TI. 

O negócio foi condecorado no Prêmio Empreendedora Curitibana 2021, na categoria Empresa de Impacto Socioambiental e, em março de 2022, e recebeu homenagem pela Câmara Municipal de Curitiba por sua contribuição às mulheres curitibanas. O Tech Girls já transformou diretamente mais de 500 vidas femininas, promovendo impacto positivo em centenas de famílias e comunidades de Curitiba e região metropolitana e, atualmente, em estabelecendo parcerias para promover a capacitação e inclusão de mulheres no mercado de tecnologia em todo o Brasil. Também desenvolveu projetos de inclusão social por meio da tecnologia para diversas empresas como o grupo Boticario, a OLX e a Renault, entre outras. Mais informações em https://techgirls.com.br.


E se você gosta de objetos naturais tem que ler esta resenha que a Chris Santos fez sobre o Ateliê Baobá. Eles produzem placas de madeiras que encantam a todos. Confira!

Nenhum comentário:

Postar um comentário