segunda-feira, 27 de março de 2017

Como fazer a escolha mais adequada e segura do contraceptivo? #vamosdecidirjuntos

Na quinta (23/07), eu participei de um evento organizado pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), que lançou a campanha #VamosDecidirJuntos. O objetivo é ampliar a discussão sobre contracepção, os métodos mais indicados para cada perfil e cada momento de vida. Além disso, a campanha quer desmistificar e esclarecer a população sobre o risco real associado ao uso da pílula anticoncepcional (que tem muitos mitos) e os raros casos de complicações cardiovasculares, como a trombose venosa. Outro objetivo da Febrasgo é o de abrir mais canais de comunicação para conversar diretamente com as mulheres. A condução do evento foi realizada pela jornalista e apresentadora Chris Flores, que atualmente está trabalhando no SBT. A campanha tem o apoio institucional da LIBBS.

Simpática e engajada: Chris Flores
A campanha conta com uma plataforma digital (www.vamosdecidirjuntos.com.br)  com informações seguras e baseadas em orientações médicas, vídeos com especialistas, textos e artigos sobre o tema. O portal oferece, ainda, um espaço para que as mulheres tirem suas dúvidas sobre os métodos contraceptivos. Tudo isso para estimular que a mulher faça uma autorreflexão sobre sua vida sexual, seu momento de vida e sua saúde e leve os questionamentos para seu médico.  

“É preciso entender que não existe o melhor anticoncepcional, existe o mais adequado para cada paciente de acordo com as necessidades de cada momento de sua vida. Com essa ação, queremos incentivar o diálogo aberto e transparente sobre contracepção”, explica o ginecologista César Eduardo Fernandes, presidente da Febrasgo. “Essa campanha ajudará as mulheres a ampliar a conversa sobre o tema e desmistificar questões importantes como os efeitos raros da pílula como a trombose. Pouco é discutido, mas o número de casos de trombose tem incidência maior no pós-parto, por exemplo”, finaliza.

Dr. César Fernandes, presidente da Febrasco
Algumas decisões tomadas sobre a saúde podem acabar entrando na rotina sem avaliar se elas realmente atendem as necessidades de cada mulher. Isso pode acontecer também com hábitos relacionados aos contraceptivos. O anticoncepcional que é bom para uma mulher pode ser ruim para outra. Essa prática, como a automedicação, no entanto, pode trazer riscos às mulheres além de impedi-las de usar um método mais adequado ao seu perfil, à sua fase de vida e aos seus planos – o que apenas uma análise detalhada e uma consulta com o médico pode definir. Um dos pontos destacados foi o da gravidez não-planejada, que traz mudanças nos projetos de vida de muitas mulheres solteiras, adolescentes e adultas, e casais.

A pílula anticoncepcional é o método contraceptivo mais usado no Brasil

“É preciso entender que não existe o melhor anticoncepcional, existe o mais adequado para cada paciente de acordo com as necessidades de cada momento de sua vida. Com essa ação, queremos incentivar o diálogo aberto e transparente sobre contracepção”, explica o ginecologista César Eduardo Fernandes, presidente da Febrasgo. “Essa campanha ajudará as mulheres a ampliar a conversa sobre o tema e desmistificar questões importantes como os efeitos raros da pílula como a trombose. Pouco é discutido, mas o número de casos de trombose tem incidência maior no pós-parto, por exemplo”, observou. Na hora de comprar, o correto é procurar o médico e não buscar conselhos com as amigas ou com o balconista da farmácia, como muitas fazem.

O médico lembrou que ainda que é importante a adesão ao método escolhido, pois muitas mulheres abandonam o uso do anticoncepcional, por exemplo, quase sempre sem consultar o ginecologista para ajustar o uso do contraceptivo ou indicar outras opções. Lembrando ainda que o uso da camisinha é indicada junto com os métodos anticoncepcionais, pois é o único contraceptivo de barreira, que protege contra DSTs (doenças sexualmente transmissíveis, incluindo o HIV).


De acordo com a Dra. Ilza Maria Urbano Monteiro, é professora Associada Livre Docente do Departamento de Tocoginecologia da Unicamp e Responsável pelo Setor de Reprodução Humana do CAISM/UNICAMP, os médicos “devem ter o compromisso de informar e orientar as mulheres, ajudando-as a chegar a uma decisão por meio de um bom aconselhamento, diz. “Para isso é preciso avaliar as necessidades individuais, quais são seus problemas de saúde, em que fase de vida está e seus objetivos no planejamento familiar – se ela quer algo de curta duração, se quer algo sob seu controle e, ainda, se quer algo que envolva seu parceiro”, completa.

 Dra. Ilza Maria Urbano Monteiro
A contracepção é uma escolha individual com responsabilidades compartilhadas, por isso a Febrasgo incentiva a discussão qualificada e convida a sociedade para o debate. Participe da campanha #VamosDecidirJuntos.

Entenda quais são os métodos contraceptivos disponíveis hoje:

Existem inúmeros métodos para evitar a gravidez e a definição do mais adequado para cada mulher deve considerar seu perfil pessoal, histórico de saúde, necessidades e preferências individuais. Essa escolha deve ser feita por cada mulher, junto com o seu parceiro, considerando a análise clínica do ginecologista.

Os métodos contraceptivos podem ser divididos em dois principais grupos, os reversíveis e os definitivos:

Métodos Reversíveis: Hormonais, Barreira, Comportamentais, Dispositivo Intrauterino (DIU) e Contraceptivo de emergência (CE)


Métodos Definitivos: Esterilização Feminina (Laqueadura Tubária) e Esterilização Masculina (Vasectomia)

Podem, ainda, serem classificados como:

Métodos Hormonais Combinados: contraceptivo oral combinado (COC, ou pílula combinada), Anel Vaginal, Adesivo Transdérmico, Injetável Mensal

Benefícios adicionais dos anticoncepcionais hormonais combinados
Métodos Hormonais só de Progestagênio: Pílula de Progestagênio, Implante Subdérmico, Injetável Trimestral, DIU Hormonal

Métodos não hormonais: DIU de cobre, diafragma, preservativos masculino e feminino e métodos comportamentais.


Dra. Ilda, Chris Flores e Dr. César 
Em breve, abordarei mais informações sobre esses métodos e outras dúvidas aqui no blog. Anotei vários temas durante a apresentação que merecem atenção especial.

O mais importante é conversar com o médico e seu parceiro e juntos escolherem o método mais indicado para seu perfil e momento de vida.

Conheça a posologia, composição, eficácia, contra-indicações e possíveis efeitos colaterais de cada método no site
www.vamosdecidirjuntos.com.br/contracepcao

Euzinha parei para conversar com Nívea e Sam, do Blog Mãe com Filhos

O press kit e hora de vestir a camisa da campanha #vamosdecidirjuntos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...