domingo, 20 de julho de 2014

Tratamento de câncer: O que é a bioterapia?

O desejo de cura do câncer é mundial, seja por aqueles que sofrem com a doença, os familiares deles e todos aqueles que sentem receio deste mal, uma sombra a pairar em nossas cabeças, que não tem  sexo ou idade para aparecer. Normalmente, os tratamentos mais mencionados são a quimioerapia (que varia de acordo com o órgão atingido e o estágio da doença) e a radioterapia. Mas existem outras terapias que podem ser associadas. 

Pior  isso, Neste post, o Dr. Israel Gonçalves Vilaça, oncologista da Oncomed BH, clínica especializada na prevenção e no tratamento das doenças neoplásicas, fundada em 1994, em Belo Horizonte, nos explica o que é BIOTERAPIA.


1) O que é bioterapia?

A bioterapia, também chamada de terapia biológica, é qualquer forma de tratamento que estimula ou restaura o sistema imunológico (de defesa) para combater infecções e várias doenças, dentre elas o câncer. Geralmente, utiliza agentes derivados, em sua maioria, de fontes biológicas.


2) Quais os principais tipos de bioterapia?

Em geral existem 5 tipos de terapias biológicas, dentre elas, os interferons, interleucinas, anticorpos monoclonais, vacinas e fatores estimuladores de colônia.


3) Como este tipo de terapia é administrada?

É administrada da mesma forma que uma quimioterapia, por via oral, através de uma veia , injeção subcutânea ou intramuscular. Em alguns casos, é associada à quimioterapia, melhorando os resultados do tratamento e minimizando os efeitos colaterais.


4) Quais os exames necessários para se adotar a bioterapia no tratamento do câncer?

Para cada tipo de terapia adotada, alguns exames de sangue e de imagem são solicitados para acompanhamento da resposta ao tratamento e dos efeitos colaterais.


5) Para quais tipos de câncer existem bioterápicos?

Melanoma, Leucemia mielóide crônica, câncer de rim, câncer de colo uterino, câncer de mama, colorretal, dentre outros.


6) Quais os efeitos colaterais?

Os efeitos colaterais variam com o tipo de tratamento. Em geral, causam sintomas semelhantes aos da gripe, como calafrios, febre, dores musculares, fraqueza, perda de apetite, náuseas, vômitos e diarreia. Alguns pacientes podem desenvolver erupção cutânea, hemorragias, hematomas, edema.


7) Como ter acesso a estes medicamentos?

Algumas destas medicações, que apresentam comprovação científica, já fazem parte do protocolo dos convênios de saúde e do SUS.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...