sexta-feira, 28 de maio de 2021

Opinião: Masterchef Estados Unidos, final da 10ª temporada

Resolvi começar a escrever este post enquanto estou assistindo ao episódio final da décima temporada do Masterchef USA, popular programa de culinária da Fox, que foi ao ar lá em setembro de 2019, cujo elenco trouxe o apresentador Gordon Ramsay e os juízes Aarón Sanchez, com seu toque latino; e Joe Bastianich, mais charmoso e elegante com suas raízes culinárias italianas. Se você não assistiu à temporada, saiba que aqui eu falo o nome do ganhador, certo?

No Brasil, eu assisti a 10ª temporada no Discovery Home & Health às sextas à noite, uma opção para tempo de reclusão com a pandemia. Por estar há 10 anos no ar, Gordon fazia questão de a cada episódio dizer que era a melhor temporada de todos os tempos mas, em minha opinião, não é (mesmo vendo à distância e sem eu ter assistido a todas as temporadas). Uma das que eu trago na memória temporada 5, cuja ganhadora foi a participante Courtney Lapresi - que tinha um temperamento apimentado. 

Os participantes da 10ª temporada trouxeram mais receitas caseiras do que vi em outras temporadas. Será sinal de uma mudança em busca de receitas caseiras, mais afetivas e da chamada comfort food? Vale esperar começar a 11ª temporada.

Bora falar um pouco de como foi a final, que reuniu Sarah Faherty, de San Diego, uma soldado com um marido sommelier; Dorian Hunter, Cartersville (Geórgia), com seu jeito de mãe e esposa; e Nick DiGiovanni, de Rhode Island, um estudante que mudou a escolha profissional e conta com a apoio da família para seguir a carreira de chef. Creio pela performance geral, os três que chegaram à final (foto) tiveram mesmo os melhores desempenhos. O programa não teve aquele candidato que se destacasse dos demais.  




As duas primeiras rodadas contaram com pratos dos 2, sendo que Nick não fez a rodada da sobremesa, pois foi cortado ao fazer um prato com peixe que ficou cru. Assim, na hora de fazerem a sobremesa, a disputa ficou entre duas mulheres: Sarah e Dorian (valorização da mulher como chef?). E a vencedora foi... 

Quem ganhou os US$ 250.000 foi a sorridente e chorona Dorian Hunter, com um menu que incluía vieiras marinhas com tuille de fubá, purê de milho doce e acelga suíça em conserva de entrada; maçã defumada costela curta com batata e gratinado de rabanete como prato principal; e uma sobremesa de torta de mirtilo de limão com recheio de mirtilo e cream cheese, merengue tostado e crosta de nozes. Junto com o prêmio em dinheiro, ela ganhou a oportunidade de estagiar nos restaurantes de Ramsay, Sanchez e Bastianich.

Dorian foi a primeira mulher negra a ganhar o Masterchet (será influência do Black Lives Matter?) e foi também a mais velha (valorização da experiência e do girl power?). 

O programa teve muita camaradagem entre os participantes, de forma geral. Quem mais sofreu críticas foi o candidato de indiano radicado nos Estados Unidos, Subha Ramiah, que ficou entre os Top 6 - realmente ele era atrapalhado na cozinha.


Você tem algum ganhador preferido das edições anteriores do Masterchef EUA? Deixe seu comentário. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário