quarta-feira, 2 de março de 2022

Resenha de séries: A força das mulheres de A Casa de Papel

A Casa de Papel (La Casa de Papel) é uma série de TV espanhola, criada por Álex Pina e foi exibida primeiramente pelo canal Antena 3 em maio de 2017e entrou para o catálogo da Netflix, a partir de dezembro do mesmo ano. No primeiro episódio, ficamos conhecendo os planos de um homem conhecido como O Professor (Álvaro Morte) recruta oito criminosos para um grande e espetacular roubo a Casa da Moeda da Espanha, nas duas primeiras temporadas, e ao Banco da Espanha, nas temporadas 3 a 5.


A série se tornou hype rapidamente, dando o que falar e chegando às ruas, pois as roupas vermelhas utilizadas pelos ladrões e reféns durante o assalto viraram fantasias de Carnaval no Brasil. Durante o assalto, passamos a conhecer um pouco da história de vida dos assaltantes, que tinham pseudônimos baseados em cidades, e mesmo em minoria no elenco, as mulheres  protagonizaram grandes cenas, cheias de suspensa e violência.    

Uma das personagens mais importantes da trama é a jovem e impulsiva Tóquio (Úrsula Corberó), também conhecida por narrar toda a história da série aos espectadores, que estava sempre à frente do grupo na hora de empunhar armas e puxar um gatilho contra os policiais, até a 5ª e última temporada. Tem muito mais energia que o Rio (Miguel Herrán), outro assaltante com quem mantém um relacionamento, mas que é bem imaturo.

Tóquio não resiste a uma arma

Outra mulher poderosa da trama é a Nairóbi (Alba Flores), que tem um grande talento com falsificações. Por conta de suas atividades criminosas, acabou perdendo a guarda do filho. Lidera os processos para permitir a retirada do dinheiro e do outro da Casa da Moeda e do Banco, respectivamente (retiradas que só aconteceram porque a série é de ficção).

Raquel Murillo (Itziar Ituño) é a inspetora policial que inicia as negociações com O Professor, durante o assalto à Casa da Moeda. Entretanto, muda de lado ao longo da trama e assume o codinome Lisboa e aceita a crítica do líder do assalto ao sistema capitalista. Apaixona-se, deixa tudo pra trás e vai viver seu amor, tendo papel importante no assalto ao Banco da Espanha, ao se tornar o braço direito e companheira do Professor.   

Tóquio, Lisboa e O Professor

A inspetora Alicia Sierra (Najwa Nimri) entrou em A Casa de Papel na terceira temporada e representa uma nova mulher inteligente e impetuosa, que vai travar altas batalhas contra o Professor e também contra seus amigos policiais.  Sierra é adepta de métodos mais violentos de abordagem e interrogatório, que se contrapõe à sua gravidez - a barriga rouba a cena várias vezes. Por incomodar seu chefe, acaba sendo afastada das negociações e transformada em um bode expiatório. Mas, ela não desiste de ir atrás dos bandidos.  

A inspetora Sierra é traída pelos seus companheiros policiais

Estocolmo (Esther Acebo) inicia sua participação na trama como a funcionária da Casa da Moeda, Mónica Gaztambide, que acabou descobrindo que estava grávida de seu chefe e amante, Arturo Román, seu colega de trabalho. Se envolve com outro assaltante, Denver (Jaime Lorente), que também é mais jovem que ela e meio "crianção".
 
Estocolmo, Nairóbi, Lisboa e Tóquio em momentos mulheres

Muitas situações de A Casa de Papel são surreais. Será que na vida real os assaltantes da Casa da Moeda conseguiriam fugir com o dinheiro e voltariam para roubar o Banco? Os assaltantes têm um código de ética, por meio do qual evitam mortes e discussões (apesar delas ocorrerem).  A polícia espanhola "bate cabeça" nas negociações e seus representantes são passados para trás inúmeras vezes. Os assaltantes levam a melhor do começo ao fim. Você assistiu e gostou do final da série? 



Nenhum comentário:

Postar um comentário