sexta-feira, 25 de fevereiro de 2022

Resenha de séries: 5 surpresas e fatos históricos em The Crown, da Netflix

A Netflix apresenta a série The Crown como um drama, uma obra de ficção amplamente baseada em eventos históricos. Estamos falando da família real mais famosa do mundo, liderada desde meados do século XX pela Rainha Elizabeth II.

A série está entre as principais produções da Netflix e retrata acontecimentos familiares e políticos em cada episódio. A série e seus artistas já ganharam vários prêmios, como o de Melhor Série de Drama no Emmy 2021.

Em The Crown, mergulhamos em uma história recente e alguns fatos que acompanhamos no Brasil pela TV e revistas, que sempre mexem com muitas emoções.

Foram veiculadas 4 temporadas, até o momento, e 40 episódios, dos quais é possível destacar vários eventos. Fiz aqui o exercício de apontar alguns acontecimentos que me surpreenderam, filmados em cenários da época impressionantes que merecem elogios, além de figurinos e performances impecáveis do elenco.


O luxo dos figurinos de The Crown


Preparação para ser Rainha: ao saber que seria coroada rainha, a jovem Elizabeth II (Claire Foy) decidiu estudar história constitucional com o vice-reitor do tradicional Eton College, Henry Marten. Vamos dizer que ela não queria ser apenas uma "rainha decorativa" no cenário mundial e na realidade da Grã-Bretanha.


Jovem Elizabeth II (Claire Foy)


Príncipe Philip (Matt Smith,) sua revolta e sua família fragmentada: nunca imaginei que Philip fosse grego. Ainda bebê, sua família fugiu da Grécia em 1917. Na infância, foi cuidado por familiares que viviam na Inglaterra. Sua mãe era psicótica, seu pai o abandonou para correr o mundo com uma amante e suas irmãs se casaram com alemães simpatizantes do nazismo. Realmente, Elizabeth II venceu muitas resistências para se casar com Philip (que era inconstante e nervoso, nutria um certo ressentimento por precisar se submeter à Rainha, sua mulher).


Jovem Príncipe Philip (Matt Smith)


Desastre de Aberfan: retratado na 3ª temporada, esta tragédia ocorreu como resultado do colapso de uma mina de carvão localizada no sul do País de Gales, que deixou 116 crianças e 28 adultos mortos, no ano de 1966. Esse triste acontecimento me remeteu aos desastres brasileiros nas cidades de Brumadinho e Mariana, ambos em Minas Gerais. Nesta fase da série, a visita à região da tragédia na trama foi vivida pela atriz Olivia Colman, que passou a representar Elizabeth II mais velha.


Cena de Elizabeth II (Olivia Colman) em Aberfan


Margareth Thatcher (Gillian Anderson), a dona de casa: reconhecida mundialmente como "Dama de Ferro", por causa do seu estilo de liderança, seu conservadorismo e políticas de direita, a Thatcher retratada em The Crown tem uma vertente pragmática e dona de casa pois, mesmo quando discute estratégias de relações internacionais ou os problemas do Reino Unido, ela prepara o jantar ou passa roupa do marido.


 
 Margareth Thatcher (Gillian Anderson)


Lady Di (Emma Corrin) e seus dotes artísticos: em The Crown, Charles vê Diana pela primeira vez em uma sala fazendo passos de dança e se sente atraído pela jovem. Estes talentos artísticos da Lady Di aparecem em vários episódios e chama a atenção um acontecimento real de 1985, no qual o príncipe Charles e a princesa Diana compareceram a um evento na Royal Opera House, organizado especialmente para os Amigos do Convent Garden. Nesse evento, a surpresa final foi a própria princesa de Gales, que apareceu diante da plateia com um sedutor vestido de cetim branco, dançando ao lado do bailarino Wayne Sleep ao som de “Uptown Girl”, música de sucesso do cantor americano Billy Joel. Esse não era um comportamento esperado de um membro da realeza britânica e Charles, que já manifestava ciúme e irritação em relação à princesa, que conquistava o amor dos ingleses e de pessoas em outras nações, ficou bem irritado.


Lady Di (Emma Corrin)

É evidente que essa ótima série pode ser analisada de diferentes ângulos e eu poderia extrair mais fatos. Existem outras performances maravilhosas no elenco. Por enquanto, ficamos por aqui, espero seus comentários e aguardamos a estreia da 5ª temporada prevista para novembro de 2022. Você tem alguma cena de The Crown que lhe marcou mais? 

Aproveite e confira também: 

O que a série Mindhunter tem em comum com Criminal Minds?

 


quarta-feira, 23 de fevereiro de 2022

Exame prevê miopia em crianças, diz estudo A biometria do crescimento axial do olho indica risco de miopia e permite prevenir antes da visão ser afetada


Crianças em casa com os olhos grudados nas telas do computador e celular se transformaram em uma verdadeira neurose para os pais. Isso porque, o excesso de atividade online é um dos fatores de risco para contrair a miopia, dificuldade de enxergar à distância.  Não por acaso, a previsão da OMS (Organização Mundial da Saúde) é de que até 2050 metade da população global será míope. Pior: A prevalência da população com alta miopia, acima de 6 graus, também deve aumentar 5 vezes em 30 anos. Segundo o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier de Campinas, significa que todo esforço para controlar a miopia ainda é pouco. Isso porque, acima de 6 graus aumenta a chance de glaucoma, descolamento de retina e degeneração macular, importantes causas de perda permanente da visão.
 
A boa notícia é que um estudo publicado no Investigative Ophthalmology & Visual Science (IOVS), jornal da ARVO, maior organização de pesquisa sobre Oftalmologia do mundo, mostra que novos míopes apresentam anos antes de qualquer alteração na refração crescimento axial de 0,36mm/ano contra 0,14 mm  entre os que não tem dificuldade para enxergar. A pesquisa foi realizada com 1302 crianças em Cingapura. Todas foram submetidas a medidas de refração e biometria com acompanhamento de 3 a 6 anos.  Dos participantes 509 eram míopes no início do levantamento, 490 emetropes e 303 ficaram míopes durante a pesquisa.
 
Tratamento com colírio

Queiroz Neto afirma que a única forma de prevenir a progressão da miopia em crianças que têm crescimento axial acima do normal mas continuam enxergando bem à distância é instilando no olho uma gota de colírio, a ser prescrito pelo oftalmologista, antes da criança ir dormir. O médico explica que como todo remédio o colírio pode ter efeito colateral que neste caso é um leve espessamento da coroide dependendo do tempo que o medicamento é usado. Por isso, não se deve usar o colírio sem prescrição ou acompanhamento médico.
 
Lente de contato e óculos

Queiroz Neto afirma que todos os dispositivos lançados para controlar a miopia tem como base a teoria da desfocagem periférica. “Enquanto a lente de contato comuns coloca a imagem atrás da retina a lente produzida para controlar a miopia coloca a imagem na zona de tratamento à frente da retina”, afirma. O resultado é a redução do crescimento axial do olho em 50%. Pode ser usada por crianças a partir de 8 anos porque o descarte é diário, diminuindo o risco de contaminação da córnea.
 
O oftalmologista ressalta que praticar atividades esportivas é essencial no controle da miopia tendo em vista que a exposição ao sol estimula a produção da dopamina que tem efeito de contenção do crescimento axial do olho. “Por isso, a lente de contato pode reforçar a proteção à visão ao permitir a prática de diversos esportes ao ar livre com baixo risco de lesões oculares, com exceção da natação , já que a água é o principal veículo de contaminação das lentes de contato.
 
O especialista ressalta que recentemente chegou ao Brasil uma lente para óculos que reduz em até 65% a progressão da miopia se for usada por 12 horas conforme ficou demostrado em dois ensaios clínicos.  Possui uma zona de visão única  que permite à criança enxergar com mais nitidez.
 
Outra alternativa para controlar a miopia é a lente ortoceratológica. Rígida e de uso noturno elimina a miopia durante o sono, fazendo uma pressão sobre a córnea que remodela seu formato. Durante o dia a criança fica livre dos óculos e lentes.
 
As três principais recomendações do médico são:
·         Alterne atividades internas e externas. Nossos olhos precisam do sol para controlar a miopia.
·         Nas atividades online procure olhar para o um ponto distante. Isso evita espasmo dos músculos ciliares e a miopia acomodativa.
·         Diminua, na medida do possível, as atividades online.


Você sabe quando deve iniciar os cuidados com a saúde ocular das crianças? Então é clicar e ficar por dentro. 

terça-feira, 22 de fevereiro de 2022

Canapés de Azeitona com Beterraba

Esse é o couvert perfeito para você receber os amigos em casa. A receita ensina como preparar tudo, da base - um biscoito de fácil preparo -  ao recheio, incluindo um delicioso patê de azeitonas com açaí finalizado com tomate e salsinha, uma sugestão que funcional, pois leva o Collagen Protein Puravida utilizado na receita é feito com a tecnologia alemã Verisol.

Ingredientes:


Para o biscoito:

  • 110 g de farinha de linhaça dourada;
  • 80 mL de água;
  • 30 g de gergelim;
  • 1 colher (café) de sal rosa.

Para o patê:

  • 80 g de castanha-de-caju;
  • 50 g de azeitonas pretas sem caroço; 
  • 50 g de beterraba;
  • 30 mL de água;
  •  ½ scoop de Collagen Puravida;
  • 1 dente de alho » Suco de meio limão;
  • Pimenta-do-reino a gosto.

Para decorar:

  • Tomate-grape;
  • Salsinha fresca.

Modo de preparo:

Biscoito

Prepare a massa misturando os ingredientes com uma colher e, em seguida, use as mãos.  Acrescente a água aos poucos para observar o ponto de modelagem: deve ser uma massa fácil de modelar e manipular. Abra a massa e corte no formato que preferir, disponha em uma assadeira untada e leve para assar a 180 graus por 25 a 30 minutos ou até que esteja crocante.

Patê:

Deixe as castanhas de molho por 12 horas. Em um processador, coloque as castanhas e todos os outros ingredientes para bater até formar uma pasta. Retire os biscoitos do forno, aguarde esfriar e recheie com o patê. Decore com meio tomate-grape e uma folha de salsinha.


Que tal experimentar uma tapioca de linhaça? Clique aqui e aproveite!!

sábado, 19 de fevereiro de 2022

O que a série Mindhunter tem em comum com Criminal Minds?

Recentemente, andei zapeando as opções da Netflix e, como gosto de enredos policiais, escolhi MindHunter. A série original é baseada no livro "Mind Hunter: Inside the FBI’s Elite Serial Crime Unit", livro lançado em 1996 pelos ex-agentes do FBI John Douglas e Mark Olshaker, que resolveram contar histórias de perseguição de serial killers e estupradores.

MindHunter gira em torno do agente Holden Ford (Jonathan Groff) que resolve estudar o comportamento dos psicopatas e precisa obter apoio a esse objetivo. A história se passa na década de 70. Insistente, Ford consegue chamar a atenção do agente especial do FBI Bill Tench (Holt McCallany), que o convida para viajar com ele e participar de algumas aulas que dava em outras cidades.  

Bill Tench e Holden Ford

Em Mindhunter, Holden Ford se envolve com a jovem e bonita Debbie Mitford (Hannah Gross), uma estudante de pós-graduação em sociologia que estimula os questionamentos do namorado e tem um comportamento emancipado para a época (as roupas que ela usa são bem legais).  

Debbie Mitford

Nos primeiros episódios, Bill e Holden conseguem, finalmente, apoio oficial para iniciar os trabalhos e os estudos do que será uma Unidade de Análise Comportamental, uma esquadra de elite do FBI, com sede em Quântico, Virginia. Ou seja, estamos falando do nascimento da unidade que nos acostumamos a acompanhar em Criminal Minds. Não é a toa que os personagens de MindHunter citam e entrevistam vários psicopatas famosos, como Charles Mason, vivido por Damon Herriman o mesmo ator que interpretou Manson em Era Uma Vez em… Hollywood, filme de Quentin Tarantino.

Na criação da Unidade de Análise Comportamental apresentada em MindiHunter, é preciso destacar a participação da psicóloga Wendy Carr (Anna Torv), que deixa para trás o trabalho na Universidade de Boston (e um relacionamento amoroso) para aceitar o desafio apresentado pelo FBI.

Holden, Wendy e Bill

MindHunter teve 2 temporadas, com 19 episódios, e reserva vários dramas pessoais vividos pelos personagens (não pretendo dar muitos spoilers), entre eles  a crise entre Bill Tench e seu filho adotivo, que afeta seu casamento.  

Eu gostaria muito que a Netflix produzisse a terceira temporada de MindHunter para que os agentes do FBI e Wendy pudessem "resolver" o caso do serial killer de Atlanta que matou 28 crianças e jovens negros - na série, este foi o primeiro grande caso no qual Bill e Holden aplicaram o conhecimento sobre perfis de psicopata (olha, Criminal Minds de novo) que começaram a organizar. Crimes que trazem a discussão da segregação racial norte-americana (vidas negras importam).

Assassinatos em Atlanta estão na 2ª temporada

Se ainda não assistiu MindHunter, aproveite para conferir. O roteiro tem outras boas histórias que não estou mencionando aqui. Deixe seu comentário aqui no post!

Mais sugestão de post sobre séries aqui no blog:




quarta-feira, 16 de fevereiro de 2022

Quibe de Abóbora com Quinoa, opção nutritiva para o almoço

Aprenda a fazer um delicioso quibe de abóbora com quinoa que é ideal para aqueles que desejam inovar na hora do almoço, nesta receita enviada pelo Quitanda, mercado de produtos frescos localizado na rua Mateus Grou, em Pinheiros, na capital. paulista. Ingredientes:


  • 350g de abóbora cabotiá (cozida e amassada);
  • ½  xícara (chá) de quinoa em grãos crua;
  • 1 dente de alho;
  • Hortelã;
  • Sal e pimenta-do-reino preta moída a gosto;
  • 180g de coalhada seca ou creme de ricota;
  • 1 cebola roxa fatiada;
  • ¼  xícara (chá) de nozes picadas;
  • Azeite;
  • 2 colheres (sopa) de manteiga.

Modo de preparo:

  1. Coloque a abóbora e o alho descascado em água abundante e assim que levantar fervura tempere com sal. Cozinhe até que a abóbora fique bem macia. Coe tudo e reserve a água do cozimento para cozinhar a quinoa.
  2. Amasse a abóbora e o alho enquanto a quinoa cozinha. Depois disso acrescente a quinoa drenada e tempere com sal, pimenta-do-reino e a hortelã picadinha. Misture até formar uma massa homogênea.
  3. Forre uma assadeira pequena com a cebola fatiada e as nozes picadas. Tempere tudo com sal e pimenta. Regue com azeite e coloque por cima a metade da massa de abóbora.
  4. Cubra com a coalhada seca ou a ricota e vire o restante da massa de abóbora por cima. Nivele e faça cortes diagonais até o fundo da travessa.
  5. Coloque pequenos pedaços de manteiga por cima do quibe e leve ao forno preaquecido a 180ºC até ficar levemente dourado, aproximadamente 30 minutos.


Que tal experimentar um Gnocchi de Abóbora? Então, clique aqui para ver a receita.

sábado, 12 de fevereiro de 2022

Opinião: As lições da vitória de Gileade no Bake Off Brasil – Mão na Massa

Assisti a várias temporadas do Bake Off Brasil – Mão na Massa, produzido pelo SBT e reprisado no Discovery Home & Health. É um dos realities que gosto de assistir, pois os participantes aprendem a arte da confeitaria (o foco não é a fofoca)

Nas mais recentes temporadas, a apresentação ficou por conta de Nadja Haddad e júri técnico com Beca Milano e Olivier Anquier.

Beca Milano, Nadja e Olivier 

Beca é, em minha opinião, uma das grandes responsáveis pelo audiência do programa, pois é expert na arte de fazer bolos e doces, dá muitas dicas e domina a técnica de dar feedbacks construtivos (sempre encontra um aspecto positivo, mesmo quando o bolo está horrível e, até mesmo, caído no chão).
 
Participantes da 7ª temporada do Bake Off Brasil

Decidi escrever esse post, entretanto, para falar de alguns diferenciais da 7ª Temporada, transmitida em 2021, que chamou a minha atenção.

Uma delas é o fato do participante Felipe, que se apresentava como coach, ter batido o recorde de aventais azuis conquistados  em uma única temporada. Porém, seu desempenho foi caindo nos episódios finais do programa e não chegou entre os três finalistas. O que podemos aprender com o Felipe? Creio que ele nos faz refletir sobre estratégia, sobre como manter a performance e não ceder a pressão. 


Os cinco semifinalistas e Nadja 
.
Por outro lado, os três participantes que chegaram até a final - Gileade, Nathanael e Julio - foram eliminados e voltaram ao Bake Off Brasil – Mão na Massa após participarem da repescagem. Eles também mostram a importância da dedicação, determinação e vontade de aprender (Nathanael saiu por questões de família e teve que reconquistar seu lugar na repescagem). Acho que foi a primeira vez que isso ocorreu no programa. 

Olivier e Julio

Na final, Gileade, o vencedor, que sempre trabalhou pesado na construção civil e representa a superação se transforma em um mestre de obras que entende de bolo e de esculpir. Ele teve que passar pela prova técnica e fazer um bolo batedeira, além de fazer uma vitrine de doces e bolo na prova criativa final.


Espero que Gileade consiga realizar seu sonho de ter uma confeitaria junto com a esposa. A final da 7ª temporada de Bake off Brasil - mão na massa mostrou que os favoritos nem sempre vencem (como aconteceu em edições anteriores do programa) e que é possível superar resultados ruins, sair da repescagem e abocanhar o prêmio com humildade. Será mesmo?

Deixe sua opinião e aproveite para ler também

 

   

Resenha: Vale a pena assistir Alerta Vermelho, na Netflix?

Sábado à noite...o que assistir para passar o tempo? Se você é assinante da Netflix, uma sugestão é o filme Alerta Vermelho (Red Notice). Enquanto eu estava assistindo, resolvi procurar informações sobre a produção e descobri que é a mais cara da Netflix até agora (cerca de 200 milhões de dólares). Como justificar tanta grana? A começar pelo elenco, que traz três nomes de peso: a atriz Gal Gadot e os atores Dwayne "The Rock" Johnson e Ryan Reynolds. que são os protagonistas da história.

Ryan Reynolds, Gal Gadot e Dwayne Johnson

A produção é descrita como um  "longa de ação com toques de comédia" e traz a história de um agente John Hartley (Johnson), que se aproxima do golpista Nolan Booth (Ryan Reynolds) para tentar encontrar os três ovos de Cleópatra incrustrados de joias e cobiçados por colecionadores de arte (que estão dispostos a pagar muito e comprá-los mesmo que por baixo do pano). 

Bispo (Gal Gadot), a maior ladra de obras de arte do mundo, também está em busca dessas relíquias e assim a história de ação, tiros e a perseguição se desenrola em vários locações ao redor do mundo (mesmo que o elenco não tenha viajado realmente para esses locais em função da pandemia). 

Bispo e um dos ovos de Cleópatra

Para pessoas um pouco mais velhas, como eu, as cenas me remetem a uma mistura de filmes do Indiana Jones com Missão Impossível (até que Tom Cruise poderia fazer uma pontinha).

O filme tem um elenco estrelar, mas os demais participantes são bem desconhecidos , incluindo a agente da Interpol que deveria recuperar os ovos e que tenta capturar os ladrões. 

Alerta Vermelho é um filme caro, mas é fraco. Tem um fim um pouco inesperado e lança a semente de que poderia ter uma continuação, mas me pergunto se valeria a pena. Será? Só se o enredo do próximo filme for muito melhor que o primeiro. Este é um filme para passar o tempo, quando não quer assistir alguma história mais densa. . 

Dwayne "The Rock" Johnson e Ryan Reynolds

Filme: Alerta Vermelho (Red Notice – 2021)
Direção: Rawsol Marshall Thuber
Gênero: Ação
Onde assistir: Netflix

Veja mais resenhas no blog:



sexta-feira, 11 de fevereiro de 2022

Resenha: Skol Beats Mojito

O mercado de bebidas está cheio de novidades e eu continuo provando (nem sempre fazendo a resenha com rapidez). Nesse post, eu volto a um dos lançamentos da AMBEV: a Skol Beats Mojito (que agora perdeu o nome Skol e ganhou vida própria como Beats).



Achei uma oportunidade legal para comparar com o Five Drinks Co., no sabor Mojito. Posso dizer que no quesito sabor, eles são bem diferentes. 

O sabor de hortelã (Mint) prevalece na Skol Beats Mojito, como está bem em destaque na lata. Não senti o sabor de outras frutas ou presença de limão. 

O teor alcoólico é de 7,9%, que está se tornando um padrão nas bebidas desta categoria.


Acho que prefiro as versões mais suaves, como a Gin Tônica da Skol Beats, que ainda não resenhei aqui. 

Aproveitei para bebericar também a Beats Senses, que deu origem à linha Skol Beats. Sabe que cheguei a achar que, agora, ela tem um leve sabor de cerveja? 


Você tem a sua Skol Beats preferida? Comenta no post!

Aqui no blog tem também a resenha da Tanqueray Flor de Sevilla (gin tônica)
  
Beba com moderação!


    

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2022

Receita vegana: barrinhas nutritivas de abóbora

 Para adoçar a semana! A empresária Amélia Whitaker ensina como fazer barrinhas nutritivas de abóbora com amendoim e chocolate. 

Os ingredientes da receita podem ser encontrados com facilidade no Quitanda, mercado de produtos frescos localizado na rua Mateus Grou, em Pinheiros. O estabelecimento oferece uma vasta variedade que incluem itens de mercearia, frutas, verduras, legumes, sucos fresquinhos e refeições congeladas para facilitar a rotina. Confira a receita completa abaixo. 

Ingredientes:


  • 1 “ovo” vegano = 1 colher (sopa) de sementes de linhaça moídas + 2 colheres (sopa) de água;
  • ¼ xícara de melado (adicione mais a gosto, se necessário);
  • ½ xícara de pasta de amendoim;
  • ½ xícara de purê de abóbora (feito com abóbora orgânica);
  • ½ xícara de farinha de aveia;
  • ½ colher (chá) de canela.

Para a cobertura de Chocolate:

  • 1 barra de chocolate vegano picada em pedaços;
  • 1 colher de chá de óleo de coco;
  • Flor de sal para salpicar por cima (opcional).

Modo de preparo:

Cozinhe a abóbora e amasse para formar o purê. Reserve. Em uma tigela, misture a linhaça moída e a água e deixe descansar até engrossar (2 a 5 minutos). Em seguida, misture a pasta de amendoim, o melado e o purê de abóbora. Adicione a farinha de aveia e a canela, e misture até formar uma massa. Coloque esta massa em uma forma forrada com papel manteiga e aperte para formar uma camada uniforme. Leve ao congelador por alguns minutos, enquanto prepara a cobertura de chocolate. Derreta o chocolate e o óleo de coco em banho-maria. Despeje o chocolate derretido por cima e alise até cobrir uniformemente, e leve de volta ao congelador. Corte em quadrados, polvilhe com flor de sal, e sirva em seguida. Aproveite!

Aqui no Blog tem uma deliciosa receita de hambúrguer vegano de beterraba e feijão fradinho.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2022

O mel como aliado no rendimento esportivo: benefícios e cuidados

O tradicional mel de abelha, amplamente utilizado para acalmar a tosse, combater resfriados e adoçar suco de bebê, pode ser também um forte aliado no rendimento esportivo. Além de nutritivo, o mel é sobretudo uma fonte rápida de energia, já que é facilmente absorvido pelo organismo.


“A glicose é o açúcar que está circulando no sangue. Quando ela se torna disponível, participa de processos metabólicos que fornecem energia para o funcionamento do nosso organismo. Desta maneira, o mel mantém o nível de glicose alta para obter um bom rendimento, sem contar que é rico de vitaminas valiosas para a recuperação muscular e física como a BI, B2,B5,B3 e C”, explica a nutricionista da Flormel, Amanda Matos.

Segundo a nutricionista, o ideal é dar preferência ao mel livre de componentes químicos e, se possível, orgânico.

“O mel puro é produzido segundo normas específicas que o qualificam como um produto isento de contaminações químicas e biológicas indesejáveis. Para produzir um mel que possa receber o título de orgânico, o apicultor deve passar por um processo de certificação. Isso é feito por algumas empresas que enviam inspetores que analisam tecnicamente as condições do apiário e sugerem adequações para a conversão do apiário convencional em orgânico. Atendidas as exigências e depois de um período de carência, a empresa certifica o apiário”, revela a nutricionista.

Mel no pré-treino

“O pré-treino é importante para fornecer a energia que será gasta durante a execução dos exercícios. Incluir o mel em iogurtes, frutas, panquecas e até mesmo na tapioca irá gerar uma energia extra para o seu treino. Outra dica é associar o mel com alimentos ricos em proteínas ou abastecidos de fibras, pois desta maneira há uma redução da carga glicêmica, evitando picos de insulina e glicose. O ideal é que a refeição seja feita de 30 a 60 minutos antes do início dos exercícios”, ressalta.

Alerta para a quantidade

 “Costumo dizer que o mal está no excesso, então cuidado! O consumo de mel pode ser cerca de uma a duas colheres (de sopa) por dia, porém respeite a prescrição do seu médico ou nutricionista”, alerta Amanda. Vale ressaltar que a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para adultos e crianças em geral é reduzir a ingestão de açúcares livres a menos de 10% da ingestão calórica total.

Mel x diabetes

“Pessoas diabéticas devem tomar cuidado, principalmente sem prescrição profissional, pelo fato do mel ser rico em açúcares simples, que chegam diretamente na corrente sanguínea, elevando rapidamente a glicemia do sangue”, finaliza a especialista.

Sobre a Flormel: Fundada em 1987, na cidade de Franca em São Paulo, a Flormel traz a proposta de uma alimentação mais prazerosa e consciente. Comercializada em todo o Brasil, o propósito da marca é reconectar as pessoas com a vida natural, sendo natural uma vida real e sem filtros, com menos artificialismos. É um modo de viver simples, leve e com prazer.

A Flormel leva sabor com saúde em forma de chocolates, sobremesas e snacks da forma mais natural possível e tudo sem adição de açúcares para atender às mais diferentes necessidades alimentares e estilos de vida. É só coisa boa!

Que tal experimentar uma panacota de cachaça e limão com mel? É só clicar e se deliciar!