quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

Dor nas costas pode indicar falta de água

Ingerir menos líquido que o necessário atrapalha funcionamento dos discos da coluna vertebral 

Tomar de dois a três litros de água por dia é a receita para amenizar muitos dos problemas de saúde enfrentados por milhões de pessoas em todo o mundo, inclusive a dor nas costas. De acordo com a professora do curso de Fisioterapia da Universidade Positivo (UP), Christina Cepeda, o baixo consumo diário de água pode contribuir para que o organismo não consiga se recuperar das atividades realizadas no dia a dia, como andar, correr, se abaixar e pular.


Para funcionar corretamente, o corpo humano precisa estar devidamente hidratado. Somente com um volume suficiente de água é possível manter os órgãos funcionando, sejam eles órgãos internos, como o estômago e o pulmão, ou externos, como a pele e os olhos. Essa mesma regra vale para os ossos e as articulações, de acordo com a especialista. “A desidratação pode ocasionar dores nas costas e articulações, por exemplo, porque os discos da coluna vertebral também necessitam de água”, alerta.

Essa é uma necessidade em qualquer época do ano, mas, durante os meses de calor, o consumo de água é ainda mais fundamental, segundo Christina. “No verão e em dias de muito calor, as pessoas transpiram mais e por mais tempo, o que faz com que o volume de água no corpo diminua. Essa redução pode causar uma desidratação da cartilagem das articulações e provocar dor.”

Beber água ajuda na flexibilidade

Formada por uma série de vértebras, a coluna vertebral tem, além delas, os “discos intervertebrais”. Esses discos têm algumas funções primordiais. Uma delas é ajudar a amortecer os impactos causados na movimentação cotidiana do corpo. A outra é aumentar a flexibilidade da coluna. E é a desidratação desses discos que pode causar dor. “Normalmente, os discos intervertebrais perdem água ao longo do dia e voltam a se hidratar à noite, quando estamos deitados. Para que isso aconteça, no entanto, é necessário ingerir muita água”, detalha Christina.

Quando essa hidratação não ocorre porque o volume de água não é suficiente, os discos reduzem sua altura e, consequentemente, o espaço entre as vértebras. Além da dor em si, esse tipo de ocorrência também reduz a amplitude dos movimentos, ou seja, a flexibilidade da coluna.

Como evitar a dor causada pela desidratação

Somadas à ingestão de dois a três litros de água todos os dias, algumas rotinas contribuem para manter o corpo hidratado e funcionando normalmente. A especialista lembra a importância de praticar exercícios de alongamento regularmente e, para completar, manter uma alimentação saudável e equilibrada.

Diagnosticar a falta de hidratação como causa primordial da dor nas costas é tarefa para um profissional habilitado. Depois de uma avaliação física, ele pode solicitar exames de imagem, como a radiografia, e até uma ressonância magnética para verificar se a desidratação existe e, em caso positivo, qual o grau. Mas, segundo Christina, prevenir ainda é o melhor remédio. “Se você experimentar dor ou desconforto fora do normal, procure um profissional habilitado”, orienta.


Neste link você vai encontrar outra matéria que aborda quais fatores que podem ocasionar fisgadas nas pernas e nos pés. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário