quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Síndrome Pós-Covid: 25% dos recuperados apresentam sintomas meses após o fim da infecção

 Diversos estudos1,2 apontam que pelo menos um quarto das pessoas infectadas pela Covid-19 apresentam algum sintoma que afeta a saúde e a qualidade de vida mesmo após a fase aguda da doença. Os problemas da chamada síndrome Pós-Covid ou Covid Longa persistem até 90 dias após a cura e vão de fadiga, cefaleia, sequelas respiratórias, cardíacas, renais até sintomas neurológicos que prejudicam a cognição e a capacidade de concentração.

“Quanto mais grave foi a doença, por exemplo, se a pessoa ficou internada em terapia intensiva, necessitou de oxigênio, maior o risco de apresentar problemas respiratórios, como fibrose pulmonar, ou redução da função cardíaca”, explica a médica infectologista Rosana Richtmann, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas.
O cardiologista Hélio Osmo, gerente executivo da área médica da Farmacêutica Zambon e presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica, concorda com a médica e diz que sem dúvida alguma o principal órgão afetado é o pulmão. “Oitenta por cento das pessoas que ficaram internadas têm falta de ar por um período prolongado. Muitas ficaram intubadas e apresentam depois fibrose pulmonar. Outras têm dificuldade de absorção de ferro, o que gera anemia, infecções virais frequentes ou desenvolveram sarcopenia, que é a perda de massa muscular”. Para recuperação total desses pacientes, segundo Dr. Osmo, será preciso muita fisioterapia por seis meses ou até um ano.

Além das questões muscular e respiratória, há relatos nos estudos de uma variedade de outros sintomas. A fadiga e a dificuldade de realizar tarefas simples são queixas comuns inclusive em pessoas que tiveram quadro leve a moderado, em especial nas mulheres, revela a infectologista. Podem persistir, também, alterações de olfato e paladar, queda acentuada de cabelo, zumbido no ouvido, palpitações, ansiedade e depressão. Aliás, o cérebro é um dos órgãos mais afetados no pós-Covid3.



Lapsos de memória, falta de foco e concentração são frequentes, prejudicando o desempenho profissional e abalando a confiança dos pacientes. Dra. Rosana explica que o problema é conhecido como “brain fog” por criar uma névoa cerebral. “Quando a pessoa não consegue produzir uma planilha ou fazer cálculos matemáticos com a mesma agilidade, e o tempo passa e ela não está recuperando essa habilidade, ela percebe que a sua capacidade cognitiva está prejudicada. Isso gera ansiedade e depressão, porque ela quer de volta a vida que tinha antes”, alerta Dra. Rosana Richtmann, fazendo um apelo aos colegas médicos para valorizar a queixa dos pacientes. “Esses sintomas não podem ser desprezados. Não é frescura. É preciso acolher e dar esse conforto ao paciente porque realmente ele está sofrendo”, afirma.

A infectologista diz que o Brasil não está preparado para lidar com a Síndrome Pós-Covid porque o país não possui centros de atendimento multiprofissional que reúnem num mesmo local
especialidades como psiquiatria, cardiologia, pneumologia, endocrinologia, infectologia e clínica médica. “Os poucos centros existentes já não estão dando conta do atendimento. Isso faz com que o paciente tenha que percorrer vários consultórios médicos e isso pode fazer com que ele desanime”, lamenta.

Referências:

  1. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7852236/
  2. https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/long-term-effects/index.html
  3. https://www.nature.com/articles/s41591-021-01283-z

Sobre a Zambon

A Zambon é uma multinacional de origem italiana que atua na linha farmacêutica e de química fina desde 1906. É globalmente reconhecida por sua linha respiratória com produtos de ação mucolítica e antioxidante, e no Brasil atua em 5 grandes áreas terapêuticas: respiratória, saúde feminina, dor, sistema nervoso central e doenças raras. Mantendo seu foco em inovação e cuidado com as pessoas, a farmacêutica investe no lançamento de medicamentos e soluções de saúde modernas para que os pacientes, consumidores e colaboradores desfrutem profundamente cada momento, afinal, está no centro de nosso propósito a diferenciação entre viver e viver verdadeiramente. Esta é a Zambon: uma empresa inovadora composta por pessoas altamente qualificadas, que partilham os mesmos valores e estão em constante evolução para lidar com cenários em constante evolução.


Aqui tem outra matéria interessante relacionada à Covid. É só clicar neste link

Nenhum comentário:

Postar um comentário