quinta-feira, 30 de setembro de 2021

Aprenda a fazer Batata Gratinada Com Queijo

 Mimoo, marca de alimentos, ensina a fazer Batata Gratinada, uma receita prática e deliciosa. O prato fica pronto em cerca de 30 minutos e pode ser servido como prato principal ou acompanhamento para carnes e peixes grelhados. Confira abaixo o modo de preparo:

Batata Gratinada

Ingredientes:

  • 100 g de Queijo Ralado Mimoo
  • 1 ½ xícara (chá) de creme de leite fresco (300 ml) 
  • 1 ovo
  • 1 colher (chá) de alecrim fresco picado
  • 1 pitada de noz-moscada ralada na hora
  • 1 pitada de pimenta-do-reino recém-moída
  • 1 colher (chá) de sal
  • 500 g de batatas (aproximadamente 3 unidades médias)
  • ½ colher (sopa) de Manteiga Mimoo Sem Sal para untar a forma

Modo de Preparo:

  1. Bata o creme de leite e o ovo em uma tigela, somente para misturar.
  2. Junte duas colheres (sopa) de queijo ralado e tempere com o alecrim, a noz-moscada, a pimenta-do-reino e o sal.
  3. Com a ajuda de um mandolim (creio que um processador também sirva), fatie as batatas em rodelas bem fininhas (3 mm de espessura). 
  4. Unte uma assadeira pequena (20 x 20 cm) com manteiga e distribua as rodelas de batata.
  5. Despeje a mistura de creme de leite sobre as batatas, polvilhe o restante do queijo ralado e leve ao forno médio (180 °C), preaquecido, por cerca de 30 minutos ou até que as batatas fiquem macias, o recheio cremoso e a superfície dourada.
  6. Sirva quente, acompanhado de carnes ou peixes assados ou grelhados.

  • Rendimento: 4 porções
  • Tempo de Preparo: 20 minutos

Gostou dessa receita? Então, com certeza, você vai curtir um Creme de Mandioquinha Gratinado. Hummmm.... delicia!!!!

terça-feira, 28 de setembro de 2021

Aprenda a preparar um delicioso "Bolo de Limão"

Quer apreciar o café da manhã da Pousada do Sandi em sua casa? O Bolo de Limão é uma deliciosa opção para o desjejum e lanche da tarde.

Confira a seguir o passo a passo:

Ingredientes:

  • 260g de açúcar
  • Raspas de 2 limões (1 taiti e 1 siciliano)
  • 170g de manteiga sem sal
  • 120 gramas de cream cheese
  • 3 ovos
  • 1 colher de café (5ml) de essência de baunilha
  • Suco de 2 limões (usados nas raspas)
  • 190g de farinha de trigo
  • 1 colher de chá rasa (10 g) de fermento em pó
  • Para a Casquinha Crocante
  • 250g de glaçúcar
  • O restante do limão espremido
 
Modo de preparo:

  1. Misture bem as raspas de limão e o açúcar para liberar os óleos e o perfume na massa;
  2. Acrescente os ovos e bata até ficar um creme claro;
  3. Acrescente a baunilha e o suco de 1 limão, depois a manteiga e o cream cheese (os 2 em temperatura ambiente), batendo sempre;
  4. Acrescente a farinha e o fermento, misture e coloque em uma forma grande ou nas minis forminhas;
  5. Asse em forno a 180 graus, pré-aquecido, por aproximadamente 30 min
  6. Para fazer a casquinha crocante, misture o glaçucar e o limão espremido e coloque por cima do bolo assim que sair do forno.
Para quem não resiste a um bolo de chocolate, aqui tem uma receita deliciosa. Confira!

segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Startup lança pijamas com dezenas de estampas divertidas feitos a base de fibras de Bambu

 
Pijamas Tudu


As peças são sustentáveis, oferecem extremo conforto e têm impressão à base d'água que não agride o meio-ambiente

Tudu, startup brasileira que nasceu com a proposta de vender roupas e objetos somente sob demanda, lançou uma coleção inédita de pijamas feita à base de fibras de Bambu. A planta tem um crescimento bem mais acelerado que as demais e seu material é altamente aproveitável, o que a torna uma alternativa sustentável. Junto às fibras de bambu, a marca traz uma variedade de estampas divertidas que agradam aos pequenos até os adultos. 

As peças têm em sua composição 70% de viscose de bambu e 30% de algodão sustentável, além disso, todas são produzidas on demand - ou seja, não há estoque e a produção é feita a partir do que é consumido. No processo, os caules do Bambu são colhidos, suas hastes transformadas em lascas, que são encharcadas com enzimas naturais para quebrar a fibra crua, virando polpa de bambu. 

A partir da secagem, essas lascas estão prontas para serem polidas no material conhecido como fibra de bambu, que é penteada e transformada em fio para ser tricotada no tecido. Além do processo sustentável do começo ao fim, a Tudu também trabalha com embalagens recicláveis, produção e entrega rápida, levando 1 dia útil para quem é de São Paulo, por exemplo. 

Vale ressaltar que a coleção de pijamas, além de ter diversas estampas, são muito confortáveis e macios, trazendo sensação de frescor no verão e de aconchego no inverno, uma propriedade da fibra de bambu. As peças são lindas, versáteis e podem ser usadas para ficar em casa descansando ou também no home office. 

A linha de pijamas da Tudu também vai receber collabs com artistas e influenciadores, aumentando ainda mais a diversidade das estampas disponíveis para os clientes. As peças estão disponíveis tanto para o público feminino, quanto masculino, para adultos, adolescentes e crianças. Os pijamas vão do tamanho 4 até o GG. 

Sustentabilidade também é moda e é para ser usada em todos os segmentos. Clicando aqui você vai encontrar um post mostra um jogo americano feito com fibra de taboa.

sábado, 25 de setembro de 2021

Suits: o que esperar dessa série, além da participação de Mergan Markle?

Quando assisti ao seriado SUITS, na Netflix, lembro que em alguns episódios eu fiquei olhando para a bela atriz morena e de cabelos castanhos no escritório da Pearson Hardman e me perguntei: quem é essa atriz? Não pesquisei no Google e nem parei para ver os nomes nos créditos. Só fiquei com aquela pergunta na cabeça até que vi uma notícia sobre a família real inglesa e a reconheci como a então namorada do Príncipe Harry (hoje, esposa).  

Depois desses parênteses sobre Megan, vamos à minha avaliação da série, que teve 9 temporadas e foi  gravada de 2011 a 2019.  Quando ouvimos falar que uma série envolve um escritório de advocacia, podemos pensar que teremos vários casos nos tribunais. Mas, não é bem assim. Tem spoilers ao longo do texto, certo? 

Mike Ross (Patrick J. Adams) e Harvey Specter (Gabriel Macht) 

SUITS traz enredos que destacam as picuinhas, tramoias, traições, mentiras e puxadas de tapetes entre advogados que tentam ganhar mais dinheiro, prestígio e derrotar o "amiguinho", muitos dos profissionais que trabalham em um mesmo escritório de advocacia: a Pearson Hardman.  

Os principais personagens da série são:

Mike Ross (Patrick J. Adams): órfão e criado pela avó , é um rapaz talentoso, com grande memória, esperto, metido em golpes e fraudes, que foi contratado por Harvey Specter (Gabriel Macht) como advogado assistente, mesmo não tendo um diploma de Direito (apesar de mentir que se formou em Harvard - formados nessa universidade são disputados na série). 

Harvey Specter: é um advogado ambicioso, inteligente e cheio de namoradas que quer ver seu nome na parede do escritório, como sócio sênior. Competente, ardiloso e que está sempre no limite da lei para ganhar seus casos. Tem em Mike Ross o parceiro qualificado para definir estratégias e argumentos para vencer os casos nos tribunais ou negociar acordos.

Louis Litt (Rick Hoffman): é um advogado da Pearson Hardman que é quase sempre preterido nos grandes casos e faz de tudo para virar sócio sênior. Tem comportamentos infantis e gosta de fazer valer seu pequeno poder, maltratando os estagiários, por exemplo. Tem algumas cenas engraçadas, porque se dá mal em seus "planos infalíveis" para vencer Harvey.  Sente inveja de muitos personagens, faz muita coisa para ter Donna como sua secretária.

Litt, Jessica Pearson, Harvey, Mike, Rachel Zane e Donna Paulsen 
  

Donna Paulsen (Sarah Rafferty): secretária de Harvey, que trabalhou com ele ainda no tempo em que  ele atuava no escritório da promotoria. Conhece os segredos do chefe, fala muitas verdades a ele,  tem um clima de paixão entre os dois, que se transforma em casamento nos últimas temporadas. Participa da série até a nona temporada. 

Jessica Pearson (Gina Torres): é a toda poderosa sócia-sênior e diretora do escritório, sempre elegante, inteligente e que aceita as manobras de Harvey para ganhar os casos e superar os demais escritórios concorrentes. Aceita até as mentiras de em torno Mike Ross. Faz muita coisa para manter a firma no auge. Jessica deixou a trama de Suits ao final da 6ª temporada, mas participou de episódios na última temporada. 

Rachel Zane (Mergan Markle): ocupa o cargo de paralegal na Pearson Hardman, pois tinha medo de fazer o teste para ser uma advogada (tipo o teste da OAB). Não estudou em Harvard e é filha de um outro famoso advogado na trama. O clima é sempre quente nas cenas entre ela e Mike, com troca de olhares profundos e eletricidade sexual, mas o relacionamento entre eles começa mesmo a engatar na terceira temporada até chegarem ao casamento.

Donna, Rachel e Jessica

Vale a pena assistir SUITS. Apesar de ser uma série classificada como Drama, tem muita comédia sutil nos episódios. Mas, acredito que a série deveria ter acabado logo após o personagem de Mike Ross ser preso por mentir que é um advogado, negociar sua saída da prisão e se casar com Rachel. O relacionamento de Meghan com o príncipe na vida real afeta o futuro do casal na trama.

Tem episódios que nos perdemos em saber qual é o nome da firma de advocacia, pois advogados entram, saem e disputam uma posição de destaque no quadro societário. 

Atrizes que vemos em outras séries, como Vanessa Ray (Eddie Janko em Blue Bloods) e a atriz Katherine Heigl (Izzie Stevens em Grey’s Anatomy) participam de  temporadas de SUITS.

Personagens que entram na série e disputam para posições como sócios ambicionam estampar o sobrenome na parede  


quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Pensando no almoço de domingo? Aposte no frango assado com gergelim e batata

Receita enviada pela rede de restaurantes Divino Fogão.

Divulgação


FRANGO ASSADO COM GERGILIM E BATATA

Ingredientes

  • 1kg de coxa e sobrecoxa
  • 1kg de batata
  • 20g de gergelim
  • 5g de sal
  • 1 limão
  • 1 laranja

Modo de preparo

Tempere o frango com sal, limão e laranja.
Deixe marinar por 1 hora e salpique o gergelim.
Coloque em uma travessa junto com as batatas cortadas em rodelas.
Asse no forno 180ºC por 1 hora com papel alumínio.
Depois tire o papel e asse por mais 20 minutos até dourar. Sirva.

  • Tempo de preparo: 2h30
  • Rendimento: 3 a 4 pessoas

Pudim de milho com calda de laranja é opção de sobremesa que o Divino Fogão já compartilhou com o Blog. Receita imperdível!

quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Uma perspectiva para o tratamento da Doença de Alzheimer



A doença de Alzheimer atinge 5% da população com mais de 65 anos – ou 1,4 milhão de pessoas no Brasil. Ela provoca a perda de funções como memória, raciocínio, juízo crítico e orientação, podendo levar à desorientação espacial, alterações de comportamento e dificuldades para a realização de tarefas corriqueiras, como se alimentar ou se vestir. Em fases mais avançadas, o paciente passa a não reconhecer parentes e amigos, até ficar totalmente dependente.

“A pessoa torna-se incapaz de aprender novas informações. Essa alteração de memória é justamente para as novas informações, os fatos recentes. A memória de acontecimentos antigos continua bastante preservada, no início. O paciente pode ainda não reconhecer lugares que antes eram familiares, se perder em datas e também apresentar quadros de depressão, apatia, surtos de agressividade, delírios de roubo e mania de perseguição”, explica Jerusa Smid, doutora em ciências pelo Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), neurologista do Grupo de Neurologia Cognitiva e do Comportamento (GNCC) da Divisão de Clínica Neurológica do Hospital das Clínicas da FMUSP e coordenadora do Departamento Científico de Neurologia Cognitiva e do Envelhecimento da Academia Brasileira de Neurologia (ABN).

Até o momento, a literatura médica não descobriu as causas da doença. Sabe-se, no entanto, que é preciso dar atenção às proteínas Beta-amiloide, que são consequências de parte da degradação celular. Elas se acumulam no cérebro de pessoas mais idosas e ainda mais nas acometidas por Alzheimer.

Provavelmente são produtos de um mecanismo de reparação celular irregular e, por isso, se acumulam em grande quantidade nesses grupos. Não são a causa exclusiva do Alzheimer, nem sua única consequência, apenas um dos componentes da sua fisiopatologia.

CAMINHO

Como não tem cura, os especialistas se empenham em fazer o diagnóstico precoce e trabalham no sentido de aplicar medidas consideradas preventivas para retardar o avanço da enfermidade. Mas um novo medicamento, aprovado pela FDA (Food and Drug Administration, o órgão regulatório americano, equivalente a Anvisa no Brasil), vem agitando o cenário científico, oscilando entre a expectativa de um tratamento inédito para a doença e certa limitação em torno da descoberta.

A droga em questão é o Aducanumab – anticorpo monoclonal que atual sobre o acúmulo de proteína beta-amiloide no cérebro –, que foi submetido a dois estudos clínicos, fase 3, prospectivos e controlados. Eles chegaram a ser interrompidos porque o remédio parecia não fazer efeito. Mas, segundo o fabricante do medicamento, depois da parada, uma análise mais profunda das informações de um dos trabalhos encontrou resultados positivos. E foi a partir daí que o FDA deu parecer positivo. Nessa retomada, o estudo apontou melhora na avaliação laboratorial de imagem dos pacientes com a doença de Alzheimer, porém sem benefício clínico objetivo.

“A conclusão a que se chegou é que o medicamento atua sobre o acúmulo da substância beta-amiloide no cérebro de pacientes com deficiência cognitiva leve. O remédio diminui o acúmulo. No entanto, não mostrou eficácia clínica nem benefício evidente para os pacientes, que não tiveram melhora da cognição, a despeito de haver uma melhora no exame”, explica Jerusa Smid.

A polêmica começou logo após a aprovação pelo FDA, que desde 2003 não aprovava nenhuma medicação para a doença. Principalmente porque o painel responsável pela avaliação, em sua maioria, votou contra. E mesmo assim o medicamento – administrado por meio de infusão intravenosa – recebeu sinal verde. Por se tratar de uma droga de uso crônico, que vem gerando expectativa social e populacional, com um resultado alvissareiro, mas que deve ser interpretado com cautela, alguns especialistas – inclusive no Brasil – avaliam como arriscada a utilização em larga escala, ainda mais imaginando-se o uso de longo prazo.

“Faltam mais estudos com resultados positivos, porque esse foi o único em que mostrou redução da patologia da doença de Alzheimer. Mas sabemos que nem sempre reduzindo a patologia haverá um ganho clínico na vida diária do paciente. Então o trabalho precisa ser replicado. Por isso o órgão regulatório dos Estados Unidos obrigou a realização de um novo estudo. E quando você pede para fazer um estudo na fase 4, enquanto as pessoas estão usando, são pacientes mais do dia a dia do cuidado com a doença, qualquer que seja ela. Porque esses estudos iniciais são feitos com indivíduos que não têm outras comorbidades, não têm doenças clínicas graves e não tomam muitas medicações”, diz a neurologista Sônia Brucki, especialista da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e da Academia Brasileira de Neurologia (ABN).

PESQUISAS

Na fase 4 (que testa a medicação em um grupo maior de pessoas), a pesquisa deve ir atrás de mostrar eficácia clínica e esclarecer efeitos colaterais. Afinal, os avaliadores do Aducanumab também perceberam que, na dose mais alta, cerca de 40% dos pacientes tiveram efeitos colaterais, como inchaço ou sangramento cerebral.

“Antes de se falar em qualquer medicamento, é preciso um diagnóstico muito bem definido de doença de Alzheimer porque existem outras enfermidades que podem parecer com ela. Temos que pedir ressonâncias magnéticas periódicas e encontrar um biomarcador bastante efetivo na doença de Alzheimer. Por isso, em relação a esse novo tratamento, por envolver muitas coisas, os especialistas em demência ainda estão reticentes”, argumenta Sonia Brucki.

“A medicação não foi avaliada pela Anvisa. Ou seja, nem a temos por aqui. Além disso, até o momento, foi usada apenas em fase bem leve da doença ou em pré-demência (cognitivo leve). Talvez esse trabalho mais amplo possa revelar melhores resultados. Se acontecer, vai ser muito legal. Mas o fato é que ainda não mostrou”, reforça Jerusa.

Até o momento só existem medicamentos que atuam na qualidade de vida de pessoas com Alzheimer: melhoram comportamento ou ciclo sono-vigília ou agressividade ou disposição ou apatia.

FUTURO

A doença começa muito antes dos primeiros sintomas. Isso porque temos uma “reserva cognitiva”, uma “resiliência cerebral”. Nessa fase, acontecem ainda bastante sinapses e a ela vai avançando, mas sem manifestar problemas.

Inicialmente, o Alzheimer acomete a região do hipocampo, que é portão da memória. No quadro primário, que é chamado comprometimento cognitivo leve, o indivíduo percebe que sua memória está deteriorando. O primeiro sintoma, na maioria dos pacientes, é esquecimento para eventos recentes, enquanto fatos remotos seguem preservados. Às vezes, a pessoa é incapaz de lembrar o que almoçou ontem, mas lembra com detalhes de sua casa de infância, por exemplo. E isso vai levando a perda de independência e autonomia. Com a evolução da doença, outras regiões do cérebro vão sendo acometidas e mais alterações cognitivas ocorrendo, piorando a qualidade de vida.

Como a doença está bastante associada ao envelhecimento, especialistas recomendam olhar para pessoas muito antes disso: aos 20, 30 anos e não aos 70. É preciso investir em uma melhor qualidade de envelhecimento cerebral desde jovem.

Uma pesquisa publicada na revista cientifica “The Lancet”, no ano passado, aponta como medidas preventivas: manter o nível de açúcar no sangue e o peso para evitar diabetes; obter o máximo de educação escolar na infância; manter-se cognitivamente ativo, por meio de leituras, jogos e aprendendo coisas novas; controlar a depressão; gerenciar o estresse; ter a pressão arterial sob controle, especificamente a partir dos 40 anos; examinar perda de audição ao longo da vida; praticar regularmente atividades físicas; seguir uma alimentação saudável, balanceada e rica em vitamina C; evitar exposição à poluição do ar e ao fumo; não abusar de bebidas alcoólicas; buscar ter um sono de qualidade, entre outros cuidados.

“São ações consideradas preventivas para retardar a doença, já que não há como evitá-la”, finaliza a neurologista Jerusa Smid.

segunda-feira, 20 de setembro de 2021

Síndrome Alcoólica Fetal, um risco ao bebê que pode virar uma vida de drama



Análise apresentada na publicação Álcool e a Saúde dos Brasileiros – Panorama 2021 indica tendência de redução da abstinência entre as mulheres entre 18 e 34 anos, com variação média anual de 2% ao ano, o que significa que mais brasileiras em idade fértil passaram a beber entre 2010 e 2019. Além disso, o uso abusivo de bebidas apresenta tendência de aumento com média anual de 5% para a mesma faixa etária.

São dados preocupantes não somente do ponto de vista da saúde feminina, mas sinal de alerta para as futuras gerações. No Brasil, estima-se que 15% das gestantes consomem bebidas alcoólicas, fator de risco importante para o desenvolvimento de transtornos neurológicos e neurocomportamentais, além de danos congênitos, conhecidos como Transtorno do Espectro Alcoólico Fetal (em inglês, FASD – Fetal Alcohol Spectrum Disorders), sendo a Síndrome Alcoólica Fetal (SAF) seu quadro mais grave. Trata-se de doença sem cura, mas totalmente evitável, desde que a gestante não consuma álcool.

“Apesar de importante incidência, os danos causados pelo uso de álcool na gravidez ainda são pouco conhecidos pela população e suas consequências podem persistir por toda a vida adulta da criança. Portanto, a prevenção é fundamental e nosso papel é contribuir na disseminação de conhecimento a respeito do perigo”, destaca Erica Siu, vice-presidente executiva do CISA – Centro de Informações sobre Saúde e Álcool, referência nacional no tema.

No mundo, a cada mil bebês, de 6 a 9 nascem com SAF. No Brasil, não há dados oficiais, mas estudo realizado em maternidade da periferia de São Paulo aponta que 38 a cada 1.000 nascidos sofriam de algum transtorno relacionado ao uso de álcool. No entanto, estimativas indicam que sequer 1% das crianças afetadas são diagnosticadas.

Para a especialista em Pediatria Neonatal e conselheira científica do CISA, Conceição Aparecida de Mattos Segre, essa falta relevante de diagnóstico pode ser explicada pela complexidade do próprio diagnóstico, pela dependência da presença de alterações faciais (que ficam menos nítidas com o passar dos anos), pela necessidade de preparo das equipes de saúde para identificar os casos e carência de uma equipe multidisciplinar.

“O diagnóstico precoce e o tratamento multidisciplinar são essenciais para promover o melhor desenvolvimento e possibilitar um aumento da qualidade de vida das crianças acometidas. Sem o diagnóstico correto, deixamos uma geração de brasileiros e famílias sem o atendimento de que tanto precisam”, alerta Segre.

A campanha é promovida pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Associação Médica Brasileira (AMB) e o CISA, com o apoio da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), com apoio da brasileira Marjan Farma, visa a disseminar conhecimento científico a respeito dos riscos do consumo de álcool durante a gravidez. A ação acontece nas redes sociais com a publicação de conteúdos especiais sobre efeitos do álcool no feto e as consequências para a saúde do bebê, diagnóstico e tratamento.

domingo, 5 de setembro de 2021

Resenha Skol Beats Zodiac: sabores Ar e Água

Como vocês estão? Passei alguns meses sem geladeira em casa, porque entrei em uma fase de reforma. Por isso, não tive como resenhar os outros 2 sabores da coleção Skol Beats Zodiac: Ar e Água. Aqui nesse post tem a  minha opinião sobre Fogo e Terra.   

Para começar, as duas versões têm cores bem bonitinhas e suaves, assim, fotografam bem ;) 

A Skol Beats Zodiac Ar tem o sabor mais leve e refrescante de todas as que bebi desta edição especial e, segundo o fabricante, tem notas de ervas (o sabor me lembrou a Skol Beats Gim). Até o teor alcoólico parece menor, mas não é. Uma boa opção para quem quer algo suave para o calor.

Skol Beats Zodiac Ar

Já a versão Skol Beats Zodiac Água também tem um sabor leve, mas as notas de limão estão um pouco mais presentes, junto com uma nota amarga que me lembra casca de limão. A embalagem diz que o produto tem "notas de pitaia e citrus", mas para mim pitaia é uma fruta muito sem sabor (apesar de eu comê-la com cereais de vez em quando). 

Skol Beats Zodiac Água

É difícil dizer qual é a melhor, pois sabor é algo muito pessoal. Eu prefiro algo mais leve atualmente, como a Ar. E você? Qual gostou mais?