domingo, 5 de setembro de 2021

Resenha Skol Beats Zodiac: sabores Ar e Água

Como vocês estão? Passei alguns meses sem geladeira em casa, porque entrei em uma fase de reforma. Por isso, não tive como resenhar os outros 2 sabores da coleção Skol Beats Zodiac: Ar e Água. Aqui nesse post tem a  minha opinião sobre Fogo e Terra.   

Para começar, as duas versões têm cores bem bonitinhas e suaves, assim, fotografam bem ;) 

A Skol Beats Zodiac Ar tem o sabor mais leve e refrescante de todas as que bebi desta edição especial e, segundo o fabricante, tem notas de ervas (o sabor me lembrou a Skol Beats Gim). Até o teor alcoólico parece menor, mas não é. Uma boa opção para quem quer algo suave para o calor.

Skol Beats Zodiac Ar

Já a versão Skol Beats Zodiac Água também tem um sabor leve, mas as notas de limão estão um pouco mais presentes, junto com uma nota amarga que me lembra casca de limão. A embalagem diz que o produto tem "notas de pitaia e citrus", mas para mim pitaia é uma fruta muito sem sabor (apesar de eu comê-la com cereais de vez em quando). 

Skol Beats Zodiac Água

É difícil dizer qual é a melhor, pois sabor é algo muito pessoal. Eu prefiro algo mais leve atualmente, como a Ar. E você? Qual gostou mais?


sábado, 21 de agosto de 2021

Masterchef com Helena Rizzo: o que mudou?

Já assisti programas com a marca Masterchef de vários países, inclusive as versões infantis - veja a resenha na temporada 10 dos Estados Unidos  No Brasil, já acompanhei algumas temporadas (assisto a reprise no Discovery Home & Health e não na Band).

Em 2021, os brasileiros foram surpreendidos pela saída de Paola Carosella do trio de chefs que avaliam os ansiosos e esperançosos participantes. É evidente que se criou uma expectativa no mercado gastronômico e junto aos fãs do Masterchef em relação ao profissional que a substituiria. 

E o programa ganhou a participação da chef gaúcha radicada em São Paulo, Helena Rizzo. No começo da carreira, Helena foi modelo e trabalhou paralelamente como garçonete da banqueteira Neka Menna Barreto e estagiou na cozinha dos restaurantes Roanne, de Emmanuel Bassoleil, e Gero, do Grupo Fasano - ou seja, teve mentores de peso do universo culinário. 

Não pretendo falar muito da premiada carreira de Helena, pois os detalhes estão disponíveis no site do restaurante Mani, do qual ela é proprietária.

Masterchef Brasil

Dos três atuais chefs do programa, Jacquin, Fogaça e Helena, eu já comi pratos assinados por ela, pois participei de vários eventos no espaço Manioca, que fica ao lado do restaurante Mani, localizado no Jardim Paulistano. Sempre gostei muito dos sabores e dos ingredientes brasileiros, como a tapioca, utilizada nas receitas de forma criativa.

Assisti Helena Rizzo também no The Taste, outro reality gastronômico no qual disputam aspirantes a chefs, veiculado no canal GNT (também é um modelo importado de programa no qual os chefs consagrados atuam como mentores, mas avaliam as criações culinárias às cegas em uma das provas. Ou seja, podem falar mal de pratos feitos por pessoas de sua própria equipe).

The Taste (GNT) 

Para mim, a entrada de Helena Rizzo no Masterchef foi excelente. Ela é divertida, conhece muito de culinária e avalia dos participantes com críticas construtivas e muita educação. 

Achei que o programa ficou mais leve e interessante. Assim, mudou para muito melhor e espero que continue assim. Parece até que Fogaça e Jacquin evitam dar aquelas bordoadas que costumavam distribuir aos participantes com comentários fortes e que eram verdadeiros baldes de água fria. 

Nota 10 para Helena Rizzo (estou escrevendo esse post sem ler outros comentários a respeito da nova apresentadora ou saber como anda a audiência). Como você viu essa mudança no elenco? 


Compartilho com vocês este post do evento da marca SBP com Ivete Sangalo, realizado no espaço Manioca. Veja as fotos no post. Espero que curtam!


quarta-feira, 18 de agosto de 2021

Tudo o que você precisa saber sobre o sake




Embora o vinho tenha se tornado um clássico da estação, para quem busca inovar com uma bebida que harmonize com pratos típicos do inverno, uma ótima pedida é o sake. O sake já está bem aclimatado às mesas brasileiras: aparece tanto para acompanhar a culinária oriental quanto harmonizando com pratos ocidentais e faz sucesso como a famosa sakerinhas. Entretanto, é difícil encontrar facilmente mais informações sobre a bebida. Por isso, Rodrigo Peca, especialista em sake da Azuma Kirin, marca pioneira com mais de 85 anos de Brasil, preparou uma guia com muitas informações sobre o fermentado japonês, que compartilhamos com você no Glamour e Felicidade. Confere e beba com moderação!


Onde são feitos?

Para começar, tradicionalmente as fábricas que produzem sake são chamadas de Sakaguras e os três principais elementos para a produção da bebida são: agua, arroz e o Koji, específico para a produção de sake, que são microrganismos utilizados para fermentação do arroz. A Azuma Kirin garante a utilização do Koji Japonês especifico para sake, importado do Japão, o que garante qualidade e legitimidade aos seus produtos. O teor alcoólico do sake varia de 13 a 16%.

Como são produzidos?

O processo de produção do sake não é simples, mas começa com o polimento do arroz, que busca conservar apenas a parte central do grão, onde encontra-se o amido. Quanto maior o grau de polimento do grão, mais nobre é o sake. Após o polimento, o arroz cozido ao vapor parte para o processo de fermentação, juntamente com água e o koji, que confere mais complexidade de sabor e aroma à bebida. “Como a fermentação é feita de forma natural, sem adição de aditivos químicos, a qualidade do grão, características da água utilizada e do koji são fundamentais para o resultado final da bebida,” explica Rodrigo Peca.

Confira 6 motivos para eleger o sake como um hit do inverno!


1.É versátil


No inverno, a versatilidade do sake chama a atenção pela possibilidade de preparações quentes, compondo drinks que aquecem o corpo e alma.

2.Bebida leve

Por ser uma bebida fermentada leve, com teor alcoolico equilibrado, o sake não empapuça, tornando o drink um ótimo acompanhamento da refeição.

3.Teor alcoólico na medida certa

Dê adeus às bebidas alcoólicas que ‘sobem’ rápido, como gin, vodka ou cachaça, que têm teor alcoólico variando de 35% a 50%. Ao substituir uma dose de destilado por outra de sake, terá um drink na medida certa de teor alcoólico, cerca de 15%.

4.Custo X benefício

Comparado com outros importados ou destilados, o sake tem um excelente custo, você encontra produtos de qualidade numa média de R$38 a garrafa*

5.Produto nacional

Para o sake, ao contrário de outras bebidas, quanto mais jovem o produto, melhor para ser consumido. Vale apostar então nas marcas nacionais que levam à risca o processo tradicional de produção japonês, como é o caso de Azuma Kirin e conseguem preservar sabor e aroma até o momento do consumo.

6.Fácil de encontrar

Há tempos o sake caiu no gosto do brasileiro, por isso é uma bebida fácil de encontrar nas prateleiras dos supermercados.


Agora, aprenda a harmonizar o sake com os pratos típicos da temporada para transformar o seu inverno!


Comum:
É um sake menos complexo e que passa a sensação mais alcoólica. É incolor, tem sabor neutro e final seco. É ideal para misturas com frutas cítricas e pode ser até usado como substituto do vinho no preparo de algumas refeições. Ele combina com pratos de frutos do mar e sushis.

Soft: Indicado para quem busca um sabor discreto e agradável. Tem aroma suave, é frutado, leve e delicado no paladar.

Dourado: O Dourado é um sake de excelente acidez, aroma fresco e frutado, com sabor suave. É perfeito para consumo puro e se harmoniza bem com pratos de frutos do mar, peixes assados ou lámen. Ou, uma excelente opção para quem quer um sake para combinar com aquele fondue de queijo.
Nama: É uma bebida delicada, frutada e de final cítrico. É um sake que passa por menor processo de pasteurização, o tornando um sake mais sutil e volátil, ideal para quem não abre mão de um sake gelado.

Junmai: o Junmai é o sake sem adição de álcool, toda percepção alcoólica é proveniente de sua fermentação, é mais encorpado e com final de sabor intenso. Para o inverno é ideal, pois combinado com sopas, ensopados ou mesmo frituras fica uma delícia.

Guinjo: Sake Premium, muito aromático, frutado e adocicado, com sabor leve e notas de maçã, combinando muito bem com sushis e sashimis, lámen e caldos de sabor mais suave.


Que tal um drink à base de Amarula? Aqui tem uma receita imperdível. Confira!

terça-feira, 17 de agosto de 2021

Costela na panela de pressão

Um prato fácil e econômico para seu almoço.

Costela na panela de pressão é um prato delicioso. A carne é muito suculenta e embora não seja um corte nobre, o resultado é uma costela que derrete na boca. Dentro da panela não vai água, tudo é cozido no próprio líquido que os ingredientes vão soltando. O tempo de preparo é de aproximadamente setenta minutos e serve 4 pessoas. “O grande truque dessa receita está na cebola. Você precisa forrar o fundo da panela de pressão com cebola, o máximo possível. A cebola, além de dar sabor, impedirá que a carne entre em contato diretamente com a parte mais quente da panela e queime”, explica o Chef André Holmo. Para fazer a receita, peça para o açougueiro 1 kg de costela de ripa, com pouca gordura, cortada em pedaços, indica Holmo.

Ingredientes: 

  • 1 kg de costela bovina
  • 3 cebolas médias ou 2 cebolas grandes
  • 1 tablete de caldo de carne ou caldo de costela
  • alho a gosto
  • Sal a gosto
  • pimenta do reino a gosto.

 

Modo de preparo:

 

  1. Forre o fundo da panela com as cebolas cortadas em pétalas.
  2. Tempere os pedaços de costela com alho, sal e pimenta e distribua-os na panela sobre a cebola, colocando os ossos virados para baixo.
  3. Por último, coloque o tablete de caldo de carne ou costela. 
  4. Feche a panela e leve ao fogo até pegar pressão. Depois que a panela começar a chiar, abaixe o fogo e marque uma hora.
  5. Sirva com mandioca ou batatas.

 

Dica do Chef: 

O grande truque dessa receita está na cebola. Você precisa forrar o fundo da panela de pressão com cebola, o máximo possível. A cebola, além de dar sabor, impedirá que a carne entre em contato diretamente com a parte mais quente da panela e queime.


A Vaca Atolada é outro prato que é elaborado com costela bovina. Acesse aqui e veja esta deliciosa receita.

segunda-feira, 16 de agosto de 2021

Contém Esperança: livro reúne histórias de vida sob a ótica de quem não tem tempo a perder

Pacientes com doenças graves relatam reflexões sobre finitude, esperança e vida


Toda história de vida tem valor e potência, um lugar de encontro, em que nós percebemos e encontramos. Em meados de 2020 nasceu um sonho, idealizado pela médica, escritora e paliativista Ana Claudia Arantes e a paciente e escritora Ana Michelle Soares: um espaço onde pacientes com doenças graves pudessem se conectar à vida mesmo diante de todos os desafios impostos pelo adoecimento. Assim, a Casa Paliativa deu seus primeiros passos. Hoje, a comunidade (com sede em São Paulo), é ponto de encontro e pertencimento para centenas de pacientes e familiares que contam com aulas, oficinas e suporte emocional e espiritual.

Diante do impacto causado na vida dos pacientes, surgiu a necessidade de transcender as barreiras do tabu e ao longo de 6 meses eles se dedicaram a aprender sobre os processos de escrita com diversos autores consagrados como: Tiago Ferro, Ruth Manus, Cris Guerra e André Gravatá. Dos encontros, nasceu o livro “Contém Esperança”, publicado pela editora e-galáxia com apoio da Pfizer, edição da jornalista Ana Holanda e participação de 46 pacientes e familiares que, como ponto em comum, vivenciam algum tipo de dor causada por uma doença que ameaça a continuidade da vida.

Gente que se encontra sob "Cuidados Paliativos" expressão que por muito tempo gerou tabu e desconforto em quem não compreendia a extensão desse cuidado. Neste livro, cada um narra a história por trás do diagnóstico, se desnuda por meio das palavras, em prosa e poesia, se mostra a partir de quem é. Uma doença, afinal, não os define. E é isso que se pode perceber ao longo dos textos cheios de delicadeza, presença e profundidade. Uma leitura essencial para profissionais de saúde, pacientes e familiares que convivem com doenças graves, além, é claro de gente que respira e até mesmo quem apenas existe. “O livro é um mergulho onde o leitor pode aprender sobre vida e esperança sob a ótica de quem não tem tempo a perder”, diz Ana Claudia.

O livro Contém Esperança já está disponível na plataforma Amazon nas versões ebook e impressa, e já conquistou o primeiro lugar na categoria livros em alta e o TOP 3 em outras 3 categorias. A renda arrecadada com a venda será destinada para a manutenção das atividades da Casa Paliativa.

Livro Contém Esperança
Venda: Amazon
Versão Impressa – 45 reais
Versão E-book –38 reais
Editora e-galáxia

Sobre a Casa Paliativa - Espaço de convivência (presencial e online) dedicado a pacientes com doenças graves que podem se beneficiar dos Cuidados Paliativos. A comunidade conta com atividades que proporcionam diálogo, escuta ativa, bem-estar, qualidade de vida, pertencimento, construção de legado, informações e aconselhamento profissional. Familiares que estão na linha de frente do cuidado de pacientes também são bem-vindos.
www.casapaliativa.com.br


Aqui no Blog Glamour e Felicidade, você vai encontrar muitas matérias com foco em saúde. Acesse aqui para ler e se informar.



domingo, 15 de agosto de 2021

Vale a pena assistir o seriado The Fall?

The Fall é uma produção da BBC rodada em Belfast, capital da Irlanda do Norte, e sua produção não é recente. São 3 temporadas veiculadas originariamente entre 2013 e 2016. Eu assisti no Brasil em 2020 pelo canal TNT Series. Aviso: tem spoiler na resenha.

A protagonista é Stella Gibson (Gillian Anderson), detetive britânica que desembarca na Irlanda do Norte para ajudar a solucionar um crime e acaba  revelando a existência de um serial killer que assassina mulheres morenas, independentes e de cabelos longos. Ela se depara com a resistência da polícia local em mudar a linha de investigação e aceitar que os dois primeiros crimes tinham relação entre si. 

Stella Gibson é uma mulher elegante, que procura ser mais racional e menos emotiva na condução da investigação. Entretanto, ao longo dos episódios, ela tem casos com detetives irlandeses - não porque se apaixona, mas pelo prazer de fazer sexo com homens bonitos (um deles é casado e é assassinado na primeira temporada).

Stella Gibson

A detetive britânica se vê envolvida também nas questões políticas da polícia irlandesa e em tramas de corrupção, que envolve o chefe de polícia de Belfast, Jim Burns (John Lynch), com quem no passado Stella já se envolveu - ele sente ciúme e raiva pela segurança e indiferença dela.

Quem assiste a série sabe logo no começo que o assassino é Paul Spector (James Dornan), um psicólogo, casado e pai de duas crianças - um menino mais novo que não tem a atenção dele e uma menina mais velha, que é "apaixonada" pelo pai. 

Paul tem uma vida dupla e um casamento monótono com a enfermeira Sally Ann (Bronagh Waugh). O ator James Dornan é o galã da trilogia Cinquenta Tons de Cinza (filmes que não assisti)

Paul Spector

Paul Spector é cínico, autoconfiante e planeja seus crimes - um verdadeiro psicopata que tem uma história que remonta à infância. Embora aparente ser franzino, ele se exercita pesado, filma suas vítimas, escreve breves relatos de seus crimes e cola pequenos troféus, como fotos delas e gravações.

Uma personagem que vale mencionar é o da adolescente Katie Benedetto (Aisling Franciosi), que é baby sitter dos filhos de Paul Spector e se apaixona por ele, nutrindo um amor cego e louco, mesmo desconfiando do envolvimento dele nos assassinatos. Katie não se importa, gosta disso e até está disposta a ajudar nos crimes.

Katie Benedetto

Apesar de 3 temporadas, o seriado The Fall é rápido de assistir, pois tem apenas 17 episódios no total. A história traz outros dramas paralelos, como o da paciente do psicólogo Paul Spector, que é perseguida pelo marido violento e ciumento (ele terá um papel importante no desfecho da terceira temporada). Cenas dramáticas envolvem a esposa de Paul, que sofre depois de conhecer o passado do seu marido, se vê envolvida na investigação e não sabe como tocar o futuro e lidar com os filhos.

Quem tem uma participação em The Fall como a legista Reed Smith é a atriz Archana "Archie" Panjabi, famosa no Brasil pela personagem Kalinda Sharma na série The Good Wife.

Respondendo a pergunta: vale a pena assistir o seriado The Fall? Mesmo não sendo uma série investigativa cheia de ação, eu gostei de The Fall e recomendo.

A gente fica na torcida para saber como vai evoluir a briga psicológica entre Paul e Stella e a investigação, pois os dois se desafiam o tempo inteiro. Mas, não vou contar o final.

Uma sugestão aos produtores de The Fall seria retomar a história de crimes com a filha de Paul Spector, pois a garotinha, obcecada pelo pai e triste pela separação, pode continuar o legado de assassinatos dele.

Aproveite sua passada aqui no site e leia também: Vale a pena assistir o seriado Gotham? 

quarta-feira, 11 de agosto de 2021

Mitos sobre o azeite: especialistas explicam sobre a funcionalidade do produto

 




Aquecimento, cor e acidez ainda deixam consumidores em dúvida na hora de escolher ou preparar receitas com o famoso suco das azeitonas


O azeite de oliva é uma gordura proveniente da azeitona, o fruto da oliveira. Florescendo na primavera, as azeitonas passam pelo processo de maturação até ao outono, época em que acontece a colheita.

A azeitona é um alimento presente em grande parte das cozinhas e o azeite é um dos elementos base da dieta mediterrânica, considerada uma das mais saudáveis do mundo.

Segundo um estudo realizado pela FIESP, o consumidor brasileiro busca cada vez mais por uma alimentação balanceada e saudável e, por esse motivo, o interesse pelo azeite cresce a cada ano no Brasil. Uma gordura rica em vitaminas e substâncias antioxidantes, o azeite é subdividido em três tipos:

Azeite Extra Virgem

Nesta categoria, o produto deve ter até 0,8% de acidez e sem defeito organoléptico/sensorial, sendo este o tipo de azeite que tem melhor preservadas as suas qualidades de aroma e sabor. A acidez de até 0,8% é um indicativo de que todas as etapas de processamento (maturação da azeitona, colheita do fruto, limpeza, extração e embalagem) foram realizadas de forma adequada.

Azeite Virgem

Azeites que apresentam algum defeito sensorial e/ou com acidez acima de 2% são denominados azeite virgem. Azeites com acidez acima de 2% não são adequados para o consumo, sendo que estes produtos são submetidos a um processo químico denominado refinamento, o qual se reduz a acidez do produto adequando-o ao consumo.

Azeite de Oliva

O processo de refinamento nos azeites virgens remove, além da alta acidez, as substâncias aromáticas e de sabor, bem como os antioxidantes naturais, pigmentos de cor e as vitaminas do azeite. Nesta fração refinada do azeite, normalmente se adiciona uma pequena quantidade de azeite extra virgem para repor um pouco de sabor, aroma e cor ao produto final. Estes azeites, então, são denominados comercialmente como "Azeite de Oliva" e sua acidez é de até 1%.

Mas com tantas informações disponíveis atualmente sobre o produto, surgem também alguns mitos que permeiam o uso do azeite. Pensando nisso, a Andorinha, marca pertencente ao grupo Sovena e que importa para o Brasil os azeites e azeitonas do seu olival próprio em Portugal, nos ajuda a desmitificar quatro mitos sobre o azeite.

De acordo com a nutricionista Maria Julia Coto "A inserção do azeite na alimentação todos os dias apresenta inúmeros benefícios à saúde devido à sua elevada densidade nutricional. Por isso, é essencial desmistificar algumas dúvidas comuns que surgem em torno desse alimento, para assim, proporcionar maior conhecimento sobre o impacto das escolhas alimentares em boas condições de saúde a curto e a longo prazo, assim como o azeite é capaz de proporcionar."

1 - O azeite não pode ser exposto a altas temperaturas.

Esse é um dos mitos mais recorrentes entre os consumidores, e isso faz com que o uso do azeite fique restrito apenas à finalização de pratos e ao tempero de saladas. Segundo as pesquisas, 1/3 dos consumidores acreditam que, quando aquecido, o azeite perde suas propriedades benéficas e por esse motivo não esquentam o produto. Mas, ao contrário do imaginário comum, o produto aquecido se mantém estável e benéfico ao combate de colesterol ruim e aumento do bom. Usado corretamente, em média até 180ºC, o azeite de oliva pode fazer a diferença para manter uma alimentação de qualidade.

De acordo com a nutricionista Maria Julia Coto, "diversos estudos científicos já comprovaram que o azeite pode ser aquecido em condições de uso doméstico sem prejuízos. É um mito acreditar que vira ‘gordura ruim’, pois estes estudos demonstraram que o aquecimento não altera o perfil de ácidos graxos do azeite, comprovando que não há uma mudança no perfil de gorduras, que se mantém de boa qualidade. Isso ocorre devido ao alto teor de antioxidantes presentes no azeite, moléculas que protegem as células de reações oxidativas. Assim, o azeite é capaz de manter a sua composição estável frente à oxidação térmica, sem que haja a formação relevante de compostos tóxicos ou gordura trans."

MITO, o azeite pode ser sim exposto à altas temperaturas.


2 - O azeite de cor verde é melhor do que o dourado.

A ideia generalizada diz que a cor do azeite é fundamental na escolha. "Muitos consumidores preferem comprar azeites em tons verdes-dourados. E quando, visualizam azeites com colorações diferentes, acreditam que o produto esteja estragado. A crença de que o azeite amarelo é ruim, não é verdadeira visto que, os diferentes tons de azeite estão relacionados a variedade, as condições climáticas, a região e o ponto de maturação das azeitonas colhidas para a extração do óleo é que determinarão a cor", explica a especialista.

A cor do azeite indica a tonalidade da azeitona no momento de colheita e extração do azeite. A mudança na coloração deve-se ao processo de amadurecimento do fruto. Além disso, o estágio de maturação das azeitonas também interfere no sabor do azeite. No início da safra, normalmente as azeitonas estão mais verdes e, por isso, originam azeites mais amargos e picantes, já no fim da safra, normalmente os azeites são mais doces e suaves. O importante é saber o que diferencia um tipo de azeite do outro e como escolher o mais adequado para cada ocasião de uso, ou de acordo com a sua preferência particular de paladar.

3 - O azeite é como o vinho do Porto, melhora com o tempo.

Diferentemente do vinho, as características e as intensidades de sabor e aroma se mantêm melhor preservadas e são mais bem percebidas quando o azeite é "novo", ou seja, quando consumido em data mais próxima de sua fabricação. De acordo com a especialista, muitas propriedades do alimento são termo e fotossensíveis, ou seja, quando exposto constantemente a luz e ao calor, o azeite pode sofrer o processo de oxidação.

O azeite deteriora-se ao longo do tempo, estar exposto à luz ou ao ar e temperatura elevada provocam sua oxidação — por isso é melhor consumi-lo mais cedo do que mais tarde.

"Para manter por mais tempo suas propriedades o ideal fechar muito bem embalagem após o consumo, para evitar contato excessivo com o oxigênio, e guardar em um local fresco protegido de calor e luz excessiva", complementa.

4 - A acidez do azeite de oliva reflete no aroma e sabor.

Diferente do que muitos pensam, a "acidez" do azeite não está relacionada a sensação de sabor ácido que alimentos como, por exemplo, o limão proporciona. Segundo a nutricionista, "Não é possível sentir no paladar, o grau de acidez indicado na embalagem do azeite serve apenas para indicar a classificação do azeite".

Além disso, está relacionada ao teor de ácidos graxos livres da azeitona e só pode ser detectada por meio de testes laboratoriais. A acidez pode ser influenciada por alguns fatores, como qualidade da azeitona, pureza, maturação, estocagem e transporte, estando associada ao grau de degradação e oxidação do azeite. Levando isso em conta, um azeite com maior acidez apresenta maior oxidação e é nisso que se deve prestar atenção. Isso porque alguns produtos da oxidação de óleo são prejudiciais à saúde. Um azeite de boa qualidade não possui acidez maior do que 2% o que é o caso do portfólio Andorinha. As informações sobre a acidez do azeite, geralmente, podem ser encontradas no rótulo do produto.


Sobre a marca Andorinha - A marca Andorinha faz parte do Grupo Sovena. No Brasil, ela traz entre seus ingredientes mais de 90 anos de experiência e credibilidade. Os produtos Andorinha são produzidos de forma sustentável em Portugal em um Olival próprio e Lagar altamente tecnológico, a partir da seleção das melhores variedades de azeitonas.


Já tem um tempo, a editora do Blog Glamour e Felicidade, Chris Santos, participou de um evento de degustação de azeite. Neste post você poderá aprender mais sobre este rico líquido verde. Acesse aqui. 

terça-feira, 3 de agosto de 2021

Candice Renoir: entre investigações, os filhos e os amantes

Se você, como eu, está acostumado com seriados produzidos nos Estados Unidos deve ter se surpreendido quando o canal AXN colocou no ar a série francesa Candice Renoir, vivida pela protagonista com o mesmo nome interpretada pela atriz Cécile Bois. Ela é uma mãe de quatro filhos (sendo que os 2 mais novos são gêmeos), que acabou de se separar do marido, con quem morava em um país do Oriente, e decidiu voltar para a Brigada Criminal de Sète, no sul da França, após ter passado quase uma década fora do trabalho como policial. 

Aviso que este post tem spoiler, caso nunca tenha assistido a série antes. No Brasil, o AXN iniciará a veiculação da terceira temporada, mas vi que na França, Candice já está a caminho da oitava temporada e o elenco passou por mudanças.



Nos primeiros episódios, chama a atenção o péssimo tratamento dado pela equipe que Candice precisa chefiar, pois se ressentem pelo fato dela ser uma mulher desconhecida, mais velha e afastada da carreira, especialmente o personagem Antoine (Raphaël Lenglet) , que ambicionava ser promovido e ocupar o cargo que ela veio ocupar. Assim, ela precisa o tempo todo provar o seu valor, mas Candice não se deixa abater. Ao mesmo tempo, em casa, a loira precisa lidar também com o ressentimento dos filhos em função da separação, a mudança de país e com a mãe que trabalha fora.



Candice Renoir é uma mulher separada que precisa provar sua capacidade de trabalhar, liderar uma equipe, resolver crimes e superar a separação. A série tem um humor leve, pois Candice encontra pistas para solucionar as investigações a partir de situações que os demais deixam passar desapercebidas - aos poucos ela ganha o respeito da sua equipe (mas sempre tem umas rusgas e implicâncias). Tem ainda os ringtones do celular, que são alterados pelos filhos mais novos e são inusitados. 

Antoine Dumas (Raphaël Lenglet) e Chrystelle Da Si (Gaya Verneuil) 

Posso abordar diferentes aspectos do seriado, após essa introdução, mas quero chamar a atenção para os amantes de Candice Renoir, que podem ser inseridos na discussão em torno de questões como o resgate da feminilidade e da sexualidade de uma mulher separada. 

Na primeira temporada, Candice se envolve com um vizinho Hervé (Alexandre Varga), que também se aproxima dos filhos da policial, dos quais tentam esconder o romance. Quem aparece para atrapalhar é o ex-marido Laurent (Arnaud Giovaninetti), muito bonito e sexy que, apesar parecer que deseja retomar o casamento, parte para trabalhar em outro país. Até mesmo Antoine, depois das implicâncias iniciais, parece ter sido seduzido por Candice, mas a relação não evoluiu (mas acho que pode ter sido retomada em outras temporadas). 

ex-marido Laurent
Por fim, o seriado ganha o personagem do policial David Canovas (Stéphane Blancafort), com quem Candice tem alguns desentendimentos na condução de investigações em conjunto, mas cuja relação se transforma em cenas de sexo intenso e na tentativa de esconder da equipe que os dois estão envolvidos.

Candice Renoir é um seriado leve de investigação, no qual problemas de família dos personagens surgem a cada episódio junto com a necessidade de se desvendar os crimes (mortes). Se você gosta de séries com esse estilo, recomendo Private Eyes - tenho um post aqui.  
  

Girassol: a beleza do sol em forma de flor

 Antes de plantar você precisa saber o tempo mais adequado de semeadura do girassol. O plantio pode ocorrer de setembro a março. A escolha do tipo de girassol é outra decisão que devemos tomar. As diferentes espécies se diferenciam, especialmente no tamanho da planta. O girassol anão (45 a 60 cm de altura) é a indicação para cultivos em vasos e ambientes internos, enquanto o girassol alto (até 1,80 m de altura) é o mais indicado para áreas externas como jardins e quintais.

O primeiro passo para o plantio é certificar que o solo está bem drenado, pois os girassóis não se desenvolvem bem em solos muito úmidos. Por outro lado, é uma planta que necessita de local bastante ensolarado e a terra deve ser rica em nutrientes.

A emergência e o crescimento do girassol são rápidos, por isso é melhor semear diretamente no solo e ao ar livre. Se o plantio for feito diretamente no solo, inicie revolvendo-o em profundidade, depois forme um buraco com cerca de 3 a 5 cm de profundidade e deposite de 3 a 4 sementes. Coloque as sementes a cada 20 cm. Regue regularmente, principalmente nos períodos mais quentes.

Para quem tem terraço ou varanda, o plantio de girassol em vasos é uma boa opção. Pegue um vaso de diâmetro suficiente para permitir que as raízes se desenvolvam (cerca de 30 cm no mínimo) e preencha com terra especial para vasos. Faça um pequeno orifício no meio e coloque 3 a 4 sementes de girassol e regar regularmente. Caso queira ter mais de uma planta, escolha um vaso maior, pois você vai precisar de um espaçamento de 10 a 15cm entre as sementes para que o girassol cresça melhor e individualmente. Além disso, evite colocar as sementes nas extremidades do seu vaso.

Quando seus girassóis formarem 3 a 4 folhas, mantenha a planta mais vigorosa e continue regando regularmente. Considere estacas para girassóis altos, especialmente se seu jardim for exposto ao vento.

Manutenção

O girassol é uma planta de fácil manutenção, o que requer poucos cuidados quando devidamente instalado. No entanto, alguns gestos podem permitir prolongar a floração e otimizar a renovação das flores.

O ponto chave no cuidado do girassol é a irrigação, principalmente se for cultivado em vasos. Tenha cuidado para que o solo não seja nem muito seco e nem muito úmido, caso contrário sua planta de girassol não verá as nuvens como em João e o pé de feijão!

Basicamente, o uso de fertilizante mineral é o caminho mais eficiente para nutrir bem seu girassol. Adicione fertilizante com nitrogênio primeiro e, em seguida, com fósforo na floração, se necessário, para permitir que as plantas recebam um bom suprimento de nutrientes O girassol é muito exigente em nutrientes.

O girassol é uma planta anual, que irá secar e morrer ao final de seu ciclo. Para preservar a planta verde, recomenda-se retirar a flor assim que estiver murcha. Isso vai permitir o florescimento no próximo ano. Outro caminho é colher as sementes, ao final do ciclo da planta. As sementes estão localizadas na parte central da flor e estão prontas para coletar quando a parte de trás da flor ficar marrom. Essas sementes serão o início de um novo ciclo de flores em sua casa. 


Fonte: Valter Casarin, Coordenador científico da Nutrientes Para Vida (NPV). A iniciativa Nutrientes Para Vida (NPV) tem como missão destacar e informar a população a respeito da relevância dos fertilizantes para o aumento da qualidade e segurança da produção alimentar, mediante o uso da quantidade adequada de nutrientes no cultivo dos alimentos e, consequentemente, proporcionando a melhoria da nutrição e saúde humanas.

Se você gosta de flores, então vai se interessar em ler uma matéria sobre decoração com flores. É só clicar aqui.

sexta-feira, 23 de julho de 2021

Conheça alguns alimentos poderosos para ajudar no combate à insônia

 Alimentos como banana, grão de bico, soja, leite, carne, amendoim e tâmaras ajudam a combater a insônia porque ajudam a regular a melatonina, substância que ajuda a relaxar


Só quem já ficou a madrugada inteira sem pregar os olhos adequadamente sabe o quanto uma noite de insônia traz prejuízos ao organismo. Além da sensação de cansaço no dia seguinte, ficar sem dormir impacta na memória, reduz a imunidade, dificulta o emagrecimento e – mais grave ainda - aumenta a incidência de doenças crônicas e problemas cardiovasculares.

Conforme explica a Dra. Livia Salomé, médica especialista em Medicina do Estilo de Vida pela Universidade de Harvard e vice-presidente da Regional Minas Gerais do Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida, a insônia é um distúrbio persistente do sono que pode se manifestar em diferentes períodos da noite.

“Alguns demoram a pegar no sono e permanecem horas na cama até serem vencidos pelo cansaço; outros passam a noite despertando muitas vezes ou perdem o sono muito antes do previsto. Em todas essas situações, o indivíduo tem a sensação de que não descansou o suficiente e no dia seguinte o corpo pede socorro”, diz a especialista.

O que poucas pessoas sabem é que a alimentação pode ser uma excelente aliada para minimizar a dificuldade de dormir. Segundo a especialista, alimentos como banana, semente de abóbora, grão de bico, soja, leite, carne, amendoim e tâmaras ajudam a combater a insônia porque são ricos em triptofano, aminoácido que ajuda na liberação de serotonina, o hormônio que auxilia na regulagem de melatonina. “É a melatonina que equilibra o relógio biológico do organismo”, explica ela. Outra aliada é a aveia, fonte natural de melatonina, assim como o mel, que reduz os níveis de orexina, hormônio que nos deixa alertas.

Outra dica da médica é evitar comidas gordurosas antes de deitar, afinal uma digestão lenta pode atrapalhar o corpo e fazer com que ele não relaxe. “Um outro cuidado é evitar exercícios físicos antes de dormir, já que eles estimulam a liberação de endorfina, o que também prejudica o sono”, diz ela, lembrando que o mais indicado é exercitar-se pelo menos quatro horas antes de ir para a cama. “Algumas pessoas não sentem esse impacto e até dizem dormir melhor após a atividade física. Não existe regra, se conhecer, é a melhor forma, mas se você está com a qualidade do sono ruim, o ideal é não malhar à noite até regular o sono”, completa.

Para ajudar quem sofre de insônia - distúrbio que aumentou muito com a pandemia, Dra. Livia separou três receitas com ingredientes poderosos no combate à insônia, que são ricos em, substância que ajuda a relaxar. Vale a pena conferir:

Vitamina de cereja com leite de arroz

Ingredientes:

  • 200 ml de leite de arroz
  • 20 gramas de cereja picada sem caroço

Modo de fazer:

Bata tudo no liquidificador ou no mixer e consuma imediatamente. Esta vitamina funciona bem como lanche da tarde.

Banana com canela e aveia

Ingredientes:

  • 1 banana nanica
  • 2 colheres de sopa de aveia
  • Canela a gosto

Modo de fazer:

Retire a casca da banana e leve ao micro-ondas por dois minutos. Acrescente aveia e salpique a canela.

Suco de maracujá, cenoura e maçã

O maracujá, a cenoura, e a maçã possuem carboidratos, que vão elevar as taxas de triptofano (precursor da serotonina), responsável pela sensação de bem estar, estimulando a produção de melatonina pelo cérebro, hormônio responsável pelo sono.

Ingredientes:

  • 3 colheres de sopa da polpa do maracujá;
  • 1/2 cenoura;
  • 1 maçã;
  • 250 ml água;
mel (se necessário)


Modo de fazer:

Bata tudo no liquidificador e sirva em seguida para não perder os nutrientes.

Quer saber mais sobre insônia? Então, clica aqui e leia uma matéria interessante sobre o assunto. 

quinta-feira, 22 de julho de 2021

Bolo de Limão de liquidificador com cobertura. Excelente pedida para o lanche da tarde.

No lanche da tarde, não há nada melhor que um bolo quentinho e delicioso. Melhor ainda se ele for feito com ingredientes naturais, como o Bolo de Limão com Cobertura, feito com o suco de limão natural e no liquidificador, para facilitar a vida. A dica veio do Toda Hora, um site de gastronomia, especializado em cozinha brasileira.

Confira:



INGREDIENTES


Para o Bolo de Limão

  • 3 ovos
  • 100ml de suco de limão natural
  • 100ml de leite gelado
  • 1 xícara de chá de óleo
  • 2 xícaras de chá de açúcar
  • 2 xícaras de chá de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 1 colher de sopa de raspas de limão


Para a Cobertura

  • 1 lata de leite condensado
  • 100 ml de suco de limão taiti natural
  • raspas de limão (para decorar)


COMO FAZER BOLO DE LIMÃO COM COBERTURA

Modo de Preparo do Bolo de Limão

  1. No liquidificador, bata os ovos, o suco de limão, o leite, o óleo e o açúcar, até obter uma mistura homogênea.
  2. Transfira a mistura para uma tigela e misture, aos poucos, a farinha de trigo, o fermento em pó e as raspas de limão.
  3. Despeje a massa em uma forma de buraco central untada e enfarinhada.
  4. Leve para assar em forno médio preaquecido até o bolo dourar, entre 35 e 45 minutos dependendo do forno.
  5. Retire do forno, espere amornar e desenforme.

Modo de Preparo da Cobertura

  1. No liquidificador, bata o leite condensado e o suco de limão, até obter uma mistura homogênea.
  2. Despeje sobre o bolo desenformado, decore com as raspas de limão e sirva.

Dica do Chef: Caso queira uma cobertura mais suave, menos doce, bata uma garrafinha de leite de coco junto com o suco de limão e o leite condensado.


Bolo de chocolate com laranja é outra receita de dar água na boca. Confira a receita e aproveite.

quinta-feira, 15 de julho de 2021

USP e Harvard propõem tratamento que regride mais rápido o câncer de mama

  
 Estudo foi realizado em parceria com cientistas da Faculdade de Medicina de Harvard.
Foto: HMS/Divulgação


Testes realizados com camundongos mostram que nova estratégia é seis vezes mais eficiente para tratar o tipo mais agressivo da doença em comparação com a terapia convencional

O Instituto de Química de São Carlos (IQSC) da USP e a Faculdade de Medicina de Harvard, dos EUA, se uniram na busca por tratamentos mais eficientes contra o tipo mais agressivo de câncer de mama, o triplo-negativo. Os cientistas propuseram uma nova estratégia que poderá resultar na diminuição dos tumores de forma mais rápida e reduzir os efeitos colaterais gerados aos pacientes pela quimioterapia. O trabalho foi publicado recentemente na Science Signaling, revista científica internacional da área de sinalização celular, distribuída pela Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS).
  
Vinicius realizou intercâmbio de um ano nos EUA
 Foto: Vinicius Ferreir
a
Diferentemente do tratamento convencional em que a quimioterapia é aplicada como primeiro e um dos únicos recursos, a proposta idealizada pelos pesquisadores envolve uma etapa prévia, que enfraquece as células tumorais antes que elas sejam tratadas com os quimioterápicos. O objetivo é que elas apresentem uma resistência menor e morram mais rápido. Para isso, o pós-doutorando do IQSC e um dos autores da pesquisa, Vinícius Guimarães Ferreira, avaliou 192 compostos químicos que poderiam ser capazes de “debilitar” as células cancerígenas de forma seletiva, ou seja, sem prejudicar as saudáveis.

Para encontrar a “molécula ideal”, o cientista testou todas as substâncias contra as células doentes com ajuda de uma impressora de compostos químicos capaz de aplicá-los sobre as células de forma automática, a partir de comandos previamente definidos pelos pesquisadores. Posteriormente, as células foram colocadas em um outro aparelho que avaliou o quão enfraquecidas elas ficaram. Vinicius, então, analisou e interpretou os resultados até identificar o composto que melhor atendia seus objetivos, ou seja, o que deixou as células mais próximas da morte. Isso foi medido, resumidamente, pela quantidade de proteínas (citocromo c) que elas perderam após receber a ação dos compostos, indicando qual o grau de vulnerabilidade das células.

Testes realizados com camundongos mostram que a nova estratégia é seis vezes mais eficiente para tratar o tipo mais agressivo da doença em comparação com a terapia convencional. Foto: Canva


Depois dessa etapa, a molécula selecionada pelo cientista foi utilizada para o tratamento de camundongos com câncer de mama por 21 dias, intercalando com sessões de quimioterapia. Os resultados foram animadores: “Utilizando apenas o quimioterápico para tratar os animais, o tumor teve uma redução de 10% em seu tamanho. Já com o tratamento combinado, o tumor diminuiu 60% no mesmo período, ou seja, a terapia foi seis vezes mais eficiente ou, então, 500% mais eficaz”, revela o cientista, que teve sua pesquisa financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e realizou intercâmbio em Harvard por um ano na época em que cursava seu doutorado no IQSC. Na universidade norte-americana, Vinícius foi supervisionado pelo professor Anthony Letai, especialista na avaliação de mecanismos que levam as células tumorais à morte.

Equipamento avalia o quão enfraquecidas
as células ficaram após a ação dos compostos.
Foto: HMS/Divulgação

Pelo fato de proporcionar um resultado mais eficiente contra o tumor, a nova proposta de tratamento poderá permitir que os pacientes sofram menos com os efeitos colaterais gerados pelos medicamentos altamente tóxicos que são administrados na quimioterapia: “Com as células cancerígenas intactas, o quimioterápico levaria um tempo maior para matá-las, gerando mais reações adversas aos pacientes que provavelmente precisariam passar por mais sessões. Já com a nossa proposta, a partir do momento em que nós temos células tumorais sensibilizadas previamente, a efetividade do quimioterápico aumenta e sua toxicidade para as células saudáveis diminui”, explica o professor e diretor do IQSC Emanuel Carrilho, que orientou Vinicius durante o trabalho e também assina o artigo publicado.

Difícil de tratar – De acordo com a Sociedade Americana de Câncer, o câncer de mama triplo-negativo (TNBC) é responsável por cerca de 10% a 15% de todos os cânceres de mama e tende a ser mais comum em mulheres com menos de 40 anos. Esse tipo de câncer se difere de outros porque ele cresce e se espalha mais rápido, têm opções de tratamento limitadas e resultados não tão satisfatórios.

Um estudo publicado em 2019 mostra que o TNBC tem seu tamanho duplicado após 124 dias, enquanto outros tipos de câncer de mama dobram seu volume a cada 185 dias. O termo “triplo-negativo” é utilizado porque as células cancerígenas não possuem receptores dos hormônios femininos estrogênio e progesterona e também não produzem, ou produzem em poucas quantidades, a proteína HER2, fundamental para o crescimento das células mamárias. Resumindo: o teste das células cancerígenas é “negativo” nas três ocasiões. Segundo estimativa divulgada pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), o Brasil deve registrar em cada ano do triênio 2020-2022 cerca de 66 mil novos casos de câncer de mama, considerando todas as suas variações. A doença representa 29,7% dos casos de câncer em mulheres, sendo o líder de incidência no público feminino. 

Agora, os cientistas do IQSC e de Harvard estão abertos a possíveis parcerias com a indústria farmacêutica para que o tratamento seja licenciado e os estudos avancem com a realização dos testes clínicos em seres humanos. A pesquisa foi realizada no Dana-Farber Cancer Institute e no Laboratory of Systems Pharmacology de Harvard, ambos sediados em Boston.


Saúde é um bem que não tem preço. Por isso, nos preocupamos em disseminar conteúdo com informações importantes sobre o assunto. Aqui no Blog você encontrará várias matérias relacionadas a tratamentos de câncer. Clique e acesse os materiais informativos relacionados ao tema.  

quarta-feira, 14 de julho de 2021

Aprenda a preparar uma torta de carne com banana que não tem massa, mas é recheada de sabor

 Chef Melchior Neto ensina o truque

Doce ou salgada todo mundo tem uma torta favorita, ela é coringa e enche nossas vidas de sabor. Para quem gosta de receitas inusitadas, o chef Melchior Neto inovou e criou uma versão de torta sem massa. O recheio é preparado com um molho cremoso que no forno se estrutura e se transforma em uma torta dos deuses. Ficou curioso? Então vem aprender a preparar essa delícia!

Torta de Carne Moída

Por chef Melchior Neto

INGREDIENTES

  • 1 banana prata fatiada
  • 8 fatias de bacon
  • 6 fatias de muçarela
  • 400g de patinho moído
  • 200g de brócolis
  • 1 cenoura picada
  • 1 cebola roxa picada
  • 1 copo de leite
  • 2 colheres (sopa) de amido de milho
  • Sal e pimenta à gosto

MODO DE PREPARO

Unte uma forma com manteiga e farinha de trigo, disponha as tiras de bacon e as fatias de banana. Coloque as fatias de muçarela e reserve. Em uma panela refogue a cebola, a cenoura, o brócolis e a carne moída. Enquanto a carne refoga dissolva o amido de milho no leite, corrija o sal e pimenta do refogado e adicione o leite com amido de milho. Mexa tudo até virar um creme homogêneo e o amido cozinhar por completo. Despeje na forma e leve para assar em forno pré-aquecido 200° por 30 minutos. Tire do forno e deixe descansar por 10 minutos antes de desenformar. Volte ao forno desenformado para dourar. Sirva com salada de folhas e tomates.

Serviço:
Gema Restaurante
Endereço: Rua das Paineiras, 378 – Jardim, Santo André– SP
Horário de funcionamento: das 11h às 19h
Delivery e Drive Thru: 4436-3773/ 94357 8437 (Whatsapp)

Botequim Carioca
Endereço: Rua Santo André, 524 - Vila Assunção, Santo André – SP
Horário de funcionamento: das 11h às 19h
Delivery e Drive Thru: 4436-8821

Para você que é fã de tortas, aqui no Blog tem várias receitas desse tipo de prato. Confira essa italiana de chocolate e amêndoas. Delícia!!!!

sexta-feira, 9 de julho de 2021

Inspirado no filme “Luca”, aprenda a fazer a receita clássica italiana: Trenette Al Pesto

 


Ambientada em uma bela cidade litorânea da Itália, a nova animação da Pixar e Disney Luca - disponível no Disney+ - traz cenas de dar água na boca com a culinária típica italiana presente em diversos momentos do filme, como o clássico gelato e, claro, o tradicional trenette al pesto – mais conhecido no Brasil como Macarrão Ao Pesto. 

É impossível não ficar com vontade! Por isso, preparamos uma receita inspirada no filme. Confira abaixo. Mãos na massa e buon apetito! 

Ingredientes:

- Para a massa:

500g de trenette (ou qualquer massa que você goste)

100g de vagem cortada em pedaços

1 batata grande cortadas em cubos

 

- Para o molho pesto:

45 folhas ou 50g de manjericão genovês

2 dentes de alho

1 pitada de sal grosso

2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado

2 colheres de sopa de queijo pecorino ralado

30g de nozes

1/2 copo ou 100ml de azeite de oliva extravirgem

 

Modo de Preparo:

Coloque o manjericão e o alho em um pilão com uma pitada de sal grosso e triture, se preferir use um processador de alimentos

Adicione lentamente o azeite

A seguir adicione as nozes, o parmesão e o pecorino ralado

A consistência deverá ser de um creme denso, se precisar, adicione mais um pouco de azeite

Não cozinhe o manjericão, se estiver usando um processador, cuidado para não aquecer os ingredientes

Ferva a água para o macarrão e quando ferver, adicione uma pitada de sal grosso

Adicione o macarrão, a vagem e a batata

Escorra a massa quando estiver cozida, mas ainda "al dente"

Guarde um pouco da água do cozimento para o molho

Coloque o pesto no fundo do prato

Adicione algumas colheres da água do macarrão ao pesto

Adicione o macarrão ao prato e misture bem


Para os dias frios, que tal um Creme de Tomate e Catupiry® com Pesto? A receita está aqui no Blog. 

 

 

quinta-feira, 8 de julho de 2021

Chocolate quente é opção para comemorar o Dia Mundial do Chocolate

Olha que dica gostosa enviada pela rede de restaurantes Divino Fogão para aquecer nos dias frios. Eu aproveitei para incluir uma dose de conhaque por conta própria.

CHOCOLATE QUENTE CREMOSO
Crédito: Divulgação/Divino Fogão

  • 300ml de leite
  • 2 colheres (sopa) de chocolate em pó
  • 2 colheres (sopa) de açúcar
  • ½ colher (sopa) de amido de milho
  • 1 caixa de creme de leite

Modo de preparo

Em uma panela, coloque o leite, o chocolate em pó, o açúcar e o amido de milho. Misture tudo e leve ao fogo médio. Mexa constantemente até levantar fervura e ficar com uma consistência cremosa. Desligue o fogo, acrescente o creme de leite e misture até ficar bem cremoso e encorpado. Sirva.

  • Tempo de preparo: 20 minutos
  • Rendimento: 2 pessoas

Fonte: Divino Fogão – www.divinofogao.com.br


Para adoçar ainda mais, que tal um Brownie com calda de chocolate branco? Clique aqui e veja a receita!