segunda-feira, 31 de agosto de 2020

Resenha de cheesecake e quiche de cogumelos da Hepa Gastronomia

Recentemente, eu recebi um release da Hepa Gastronomia, um restaurante da região da Berrini (Brooklin) e resolvi conhecer os pratos que eles entregam pelo delivery, criado por conta da pandemia do coronavírus, a casa mudou seu foco e concentrou seu negócio na venda de tortas e quiches congeladas.

A cheesecake vem mesmo douradinha por fora e cremosa por dentro. Eu escolhi a calda de frutas vermelhas, que agrega um toque de acidez. Fresca, leve e com massa crocante de biscoito. Adquiri a de 6 fatias generosas. 


Comprei também a torta de cogumelos (shitake e shimeji) com cobertura leve de cream cheese (fica parecendo uma espuminha). O tamanho é bem bom e esquentei durante 20 minutos no forno. Fiz outras compras, mas ainda não comi. Mas, acredito que serão bem gostosas, como estas que já experimentei. 



A entrega ocorreu conforme combinado e que veio entregar foi um dos sócios do restaurante (soube agora ao escrever esta resenha). 




Serviço Hepa: 

Endereço: Rua Anésio Pinto Rosa, 78, Brooklin 

Take away e delivery pelo WhatsApp: (11) 98326-3215 ou pelo app: https://www.goomer.app/hepa

Pedidos também pelo iFood 

Instagram: @hepa.gastronomia 

segunda-feira, 24 de agosto de 2020

Nutrição - Dieta alimentar balanceada ajuda a amenizar dificuldades respiratórias

 


A COVID-19 atinge, principalmente, as vias respiratórias. Outros famosos problemas de saúde também causam mal-estar e insuficiência ao respirar, prejudicando o dia a dia dos pacientes. Asma, bronquite e rinite alérgica são alguns dos exemplos mais conhecidos. 

Mas, para combater as limitações dessas doenças, alguns hábitos alimentares podem ser benéficos. Os alimentos broncodilatadores, se consumidos diariamente, melhoram o quadro respiratório e as funções pulmonares. Mas quais são eles e como funcionam? 

Abrindo os brônquios 

“Café, frutas cítricas (como limão e mexerica), gengibre, aspargos e chás são alimentos que atuam nesse sentido”, explica o dr. Daniel Magnoni, presidente do Instituto de Metabolismo e Nutrição (IMeN). As folhas verde escuras, como espinafre, rúcula e agrião, também são importantes, devido a sua quantidade de magnésio, principal mineral broncodilatador. 

O magnésio, inclusive, pode ser encontrado em oleaginosas e cereais integrais. É um nutriente tão poderoso para a respiração que, em muitos casos, complementa o tratamento da asma. Alimentos ricos em vitamina D também são essenciais para o organismo, como gema de ovo, fígado, manteiga e alguns tipos de peixes. 

Fechando os brônquios 

Por outro lado, alimentos processados, com teor elevado de gorduras saturadas e transgênicos, desencadeiam processos inflamatórios no corpo, comprometendo as vias respiratórias. O consumo em excesso dificulta o trabalho respiratório e prejudica as funções saudáveis do corpo.

 “Em algumas pessoas, podem ainda causar alergias a partir do estreitamento das vias respiratórias”, pontua dr. Magonini. Açúcar e refrigerantes somam-se aos alimentos industrializados. Nestes últimos, a presença de corantes, em especial o amarelo (que dá coloração vermelha, como na salsicha) é uma das mais propensas a causar alergias. 

COVID-19 

Frente à crise do Sars-CoV-2, uma dieta adequada também pode ajudar. “Alimentos com alta carga proteica são essenciais. Leguminosas – como lentilhas, ervilhas e soja –, ovos, peixes e aves são ótimas fontes proteicas”, afirma dr. Magnoni. O consumo de lipídios saudáveis, vegetais e fontes vitamínicas atuam no fortalecimento do sistema imunológico, protegendo as vias aéreas e o organismo de forma geral

. 

Para tratar mais a fundo sobre a ligação entre alimentação, imunidade e esporte, o dr. Magnoni lançou recentemente o livro PANDEMIA – Relatos da Frente de Batalhas; Dicas e orientações sobre a alimentação na nova era. A obra, já disponível nas plataformas do Mercado Livre e da Amazon, ajuda a estabelecer uma dieta segura. “Além de tratar das escolhas nutricionais mais adequadas de acordo com o nível de atividade física, sexo, peso, altura e idade das pessoas, também abordo o papel das proteínas e vitaminas nos processos infecciosos do pulmão e trago ainda depoimentos marcantes de profissionais da saúde que atuam na linha de frente do combate à pandemia”, detalha. 

Outra iniciativa que garante informações seguras e baseadas em pesquisas para uma vida mais saudável é a Nutrientes para a Vida (NPV), onde dr. Magnoni já atuou como consultor. 

 

Aproveite e leia o post: Nutricionista lista 10 alimentosque ajudam na prevenção de doenças crônicas e cardiovasculares

quarta-feira, 19 de agosto de 2020

Receita - Aprenda a preparar moqueca de cação com dendê e leite de coco

 

Uma receita enviada pela equipe da rede de restaurantes Água Doce. Aproveite!

 

Ingredientes:


500g de cação
3 colheres de café de sal refinado
3 colheres de café de pimenta do reino
Suco de 2 limões
100 ml de azeite de dendê
2 colheres de café de alho picadinho
1 cebola cortada meia lua em fatias finas
2 tomates cortados em tiras
1 pimentão amarelo cortado em tiras
1 pimentão vermelho cortado em tiras
1 pimentão verde cortado tiras
½ pimenta dedo de moça picadinha
3 colheres de sopa de coentro picadinho
200ml de leite de coco

 

Modo de preparo:


Tempere as postas de cação com sal, pimenta do reino e o suco de limão. Reserve. Em uma panela, frite o alho no azeite de dendê até dourar. Acrescente a cebola, o tomate, os pimentões verde, vermelho e amarelo, a pimenta dedo de moça e mexa para misturar todos os ingredientes. Por último, acrescente o cação. Tampe e deixe cozinhar por 10 minutos. Coloque o coentro, abafe por 2 minutos e, por último, acrescente o leite de coco. Retire da panela, transfira para um refratário e sirva.

 

Tempo de Preparo: 40 minutos


Rendimento: 4 porções


Fonte: Água Doce Sabores do Brasil


Crédito da Foto:Bruno Marconato


Aproveita e confere também essa receita de
Peixe em crosta de nozes com purê de maçã e damasco

domingo, 16 de agosto de 2020

O que esperar do seriado PONTO CEGO?

Sou fã de seriados policiais e de investigação. E, nos últimos tempos descobri que tenho visto mais séries do que imaginava. Por isso, resolvi comentar um pouco sobre elas aqui no blog

Uma das descobertas nessa área que fiz, logo que assinei Netflix, foram as três temporadas de PONTO CEGO, quando a personagem que será chamada como Jane Doe (Jaimie Alexander) é encontrada dentro de uma sacola no meio da Times Square, sem memória e com o corpo inteiramente tatuado.  O nome do seriado no Brasil tem relação direta com aquele área em torno de um veículo que não conseguimos enxergar, mas pode ter algo que nos coloca em risco.

A foto abaixo traz os principais personagens: Jane Doe, Kurt Weller (Sullivan Stapleton), Edgar Reade (Rob Brown), Tasha Zapata (Audrey Sparza) e Patterson (Ashley Johnson), que trabalham no FBI e terão que desvendar o mistério de Jane e de suas tatuagens (ao continuar a ler, encontrará alguns spoilers).   

 










Jane Doe recupera lentamente à memória, enquanto a equipe vai desvendando as tatoos, especialmente por causa do conhecimento da loirinha Patterson, a CDF do grupo que sabe muito de tudo: de química, de história, de desenvolvimento de sistemas, de física etc etc.

Desde os primeiros episódios, Jane demonstra ter treinamento especial, como se fosse um membro do exército ou de outra força militar, pois é poliglota, sabe bater, atirar e se integra à força-tarefa da investigação, arriscando a vida várias vezes.

Ponto Cego tem traição dentro do próprio FBI; tem romance e separações entre Jane Doe e Kurt Weller; e entre Reade e Zapata ao longo das temporadas, além de muitos tiroteios, lutas, explosões e conspiração. 

Kurt e Jane

Tudo isso acontece enquanto a equipe (com Jane Doe) salva o mundo de ameaças como os cientistas que querem lançar sobre o mundo um vírus mortal (seria o Sars-Cov-2?); desvendar células de espiões russos; salvamento de reféns de um avião desaparecido, entre outras aventuras explosivas e cheias de perseguições.   

Das temporadas, as que mais gostei foram as duas primeiras, enquanto ainda tinha um pouco mais de suspense em torno da identidade de Jane, de sua real missão e dos mistérios que a envolve.

Vela destacar a atuação do ator Ennis Esmer, que vive o personagem Rich Dotcom, que entrou como um vilão em um dos episódios da primeira temporada, que possui um profundo conhecimento em tecnologia da informação, faz outras aparições na série e se torna consultor do FBI na terceira temporada - vai ajudar Patterson na parte científica dos casos (além de ter um segredo entre eles). O personagem Rich Dotcom traz um pouco de humor, com suas tiradas e seu relacionamento gay.


Ennie Esmer à esquerda

Uma participação especial na série foi a da atriz Archie Panjabi, que ficou conhecida pela personagem Kalinda Sharma em The Good Wife, no papel Nas Kamal, chefe de uma divisão secreta da NSA, Agência de Segurança Nacional, acompanhava o caso de Jane Doe à distância. Ela entra no primeiro episódio em grande estilo: em um big helicóptero, em busca de Kurt e equipe. De Kalinda, Nas mantém o visual com roupas escuras e as botas longas.



Assisti também a quarta temporada (ameaçada de não correr por causa da baixa audiência de Ponto Cego. Eu pensei que não fosse ter uma quarta) e soube que tem uma quinta e última, que ainda não foi lançada pela Netflix no Brasil. 

Creio que as 5 temporadas são mais que suficientes para esgotar a história de Jane. Aguardarei para vê-la. Se gosta de ação, traição, mistério, crises nas famílias (como a relação desequilibrada de Kurt com o pai), e romance, assista a Ponto Cego.




sexta-feira, 7 de agosto de 2020

Resenha: Smirnoff Ice - você já parou para ler o rótulo desta bebida?

Smirnoff Ice é um produto que faz parte da categoria prontas da beber das mais tradicionais do mercado brasileiro, muito comum nas baladinhas, seja qual for o ritmo musical, na praia, no churrasco, onde você quiser. O preço também é bem acessível, especialmente quando você compra em um supermercado. 


Faz um tempinho que eu parei para ler o rótulo da Ice, como ela costuma ser chamada, e me espantei com que que vi. O que você pensa quando ouve falar da marca Smirnoff? Em vodka, é claro. 

Apesar do rótulo indicar que se trata de uma bebida mista, o que prevalece na composição da Smirnoff Ice é, na ordem,: água gaseificada, saquê, açúcar e, só depois, vem a vodka (depois listam os acidulantes, conservantes etc.). 


Outra informação que o rótulo traz é de que se trata de uma nova fórmula, o que não me espantou, pois bem que achei que o sabor da Ice estava diferente, mais suave e o limão menos acentuado - creio que possa ser em função da prevalência do saquê. O teor alcoólico está em 5%.


A minha conclusão é: não pense em Smirnoff Ice como vodka - a concentração deve ser mínima ;). 

Você já parou para ler? É fã de Ice? Veja aqui no blog minhas resenhas de outras bebidas:  Experimentei Mojito e Cuba Libre prontos para beber; a da Opinião: Smirnoff Triple Citrus na caixinha e da Skol Beats Senses, Spirit e Secret

   

domingo, 2 de agosto de 2020

Você viu como o ator A. J. Buckley, o Adam Rossi de CSI NY, está agora?

Resolvi escrever esse post, pois me surpreendi muito esses dias quando reconheci em o ator  A. J. Buckley, o Adam Ross de CSI NY, em seriado sobre guerra e o exército estadunidense no Afeganistão e região. Sabe aquela hora que você olha para a tela e fica pensando: em qual outro seriado eu já vi esse ator?   Bem, foi difícil associar. 

Adam Ross, CSI NY

A.J. Buckley está no seriado do Seal Team, no elenco principal da equipe que se divide entre missões no Afeganistão e estadias com a família nos Estados Unidos. O grupo é liderado pelo ator David Boreanaz (aqui vive o papel de Jason Hayes, mas que é muito conhecido por viver por muitas temporadas o policial do FBI, Seeley Booth, em Bones, depois eu volto a falar dele).  

Voltando ao A.J. Buckley, ele procurou um especialista em fisiculturismo de Hollywood, Eric the Trainer, e se comprometeu com a forma física para viver o papel de um Seal, conforme está nessa matéria. A.J. ganhou muitos músculos e pouca gordura corporal, como você pode conferir na foto abaixo. Muito diferente, não acha? E essa barba?

   
O nome do personagem dele é Sonny Quinn, o mais solitário dos seals (não apareceu sua família até ). Estou assistindo ainda a primeira temporada de Seal Team, mas ele faz o papel de durão, com um sotaque do meio-oeste dos Estados Unidos e, muitas vezes, aparece me cena mastigando um palito de dente, usa um boné, enquanto ouve as instruções da missão. É aquele que procura resolver as situações pela força, pelo tiro, que quer invadir os locais dos resgates.

 
Vocês viram essa mudança? O que acham do novo visual de A.J. Buckley?  Já viram Seal Team? Comentem!

Aproveitem para ler outros posts que escrevi sobre séries, um tema que será mais frequente aqui no blog sobre o seriado Gotham.