quarta-feira, 7 de agosto de 2019

SAÚDE: Vale a pena o homem fazer uma vasectomia?




Entre os anos de 2001 e 2017, o método cresceu 300% e os números pularam de 7,7 mil homens para 34 mil neste período.

De acordo com dados do IBGE até 2060, a população brasileira cairá dos atuais 1,77 filhos por mulher para 1,66. E os números do Ministério da Saúde indicam que realmente o país está caminhando para famílias cada vez menores e que se utilizam de procedimentos como a ligadura de trompas e vasectomia para não terem mais filhos. Segundo dados do Sistema Único de Saúde (SUS), o número de vasectomias no Brasil cresceu mais de 300% entre 2001 e 2017, os números pularam de 7,7 mil homens para 34 mil que realizaram a operação no período.

O crescimento do protagonismo masculino no planejamento familiar é cada vez mais evidente, especialmente entre homens na faixa dos 30 e 35 anos, casados e com filhos. De acordo com o Dr. Luiz Renato Guidoni (CRM 109022), urologista da Clínica Guidoni, Membro da Associação Americana de Urologia (AUA) e da Sociedade Mundial de Endourologia (Endourological Society), a vasectomia é um procedimento cirúrgico simples (que leva cerca de 30 minutos), seguro e eficaz de contracepção, que consiste em interrupção da passagem dos espermatozoides para o sêmen.

Nesse procedimento é feita a secção bilateral de ambos os canais deferentes utilizando uma via de acesso mínima. Para minimizar o risco de recanalização espontânea, além da secção, as bordas criadas dos canais são ligadas (amarradas), cauterizadas e, então, invertidas. Importantíssimo ressaltar que o homem continuará a ter ereções, orgasmos, ejaculações e prazer sexual, como antes do procedimento. A única alteração é que seu sêmen não terá esperma e, consequentemente, não será mais capaz de engravidar uma mulher.

“Realizada com anestesia local associada a sedação anestésica, a vasectomia deve ser pensada cuidadosamente pelo casal, porque mesmo podendo ser revertida em cerca de 50% dos casos, deve ser considerada definitiva, já que a técnica é um dos métodos contraceptivos mais efetivos”, explica o Dr. Guidoni.

A vasectomia evita gravidez e não doenças: “Precisamos lembrar sempre que a vasectomia não protege contra as doenças sexualmente transmissíveis como HIV, sífilis, HPV e gonorreia e etc. Portanto, o uso da camisinha é fundamental para homens que não tenham uma parceira fixa ou que tenham mais de uma parceira sexual”, finaliza o Dr. Guidoni.

Indicamos também para você leitura do post: Infertilidade masculina – Entenda o que é varicocele.  


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...