quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Buboo apresenta coleção Botanic para a temporada primavera-verão

Novidades para crianças! O lançamento da coleção de verão da Buboo, marca de moda infantil comandada pela estilista Mafalda Bayam, é denominada Botanic, com muita inspiração na cor, estampas e harmonia do universo das plantas.


As cores são inspiradas na natureza, cores orgânicas e naturais como o menta, palha e cores fortes e iluminadas como amarelo e laranja. Mafalda conta ainda que para as estampas, imaginou um maravilhoso jardim cheio de árvores, flores e folhas em uma linda tarde de verão. “É uma coleção leve e delicada com formas confortáveis e criativas”, completa Mafalda. Tudo para deixar meninos e meninas cheios de estilo! 





Renove as cores de sua casa na Primavera

Transformar, mudar, florescer, criar, nascer, cultivar são as palavras-chave nesse momento. Para ajudar você a trazer o clima da primavera para a sua casa, a Tintas Sherwin-Williams preparou uma seleção especial de cores que vão ressaltar seus ambientes com tonalidades que trazem mais vida, energia, frescor e alegria. As cores dessa paleta de tendências primaveris ajudam a trazer a exuberância dos jardins para as áreas de lazer e para dentro de casa, nas cores presentes na paleta acima. Veja algumas combinações:

SW 6605 Charisma – Um tom de rosa que está ligado ao charme, cortesia e amabilidade. Uma cor com muitas características positivas e que traz uma energia suave, calmante e protetora. Uma excelente escolha para detalhes e destaques femininos e cheios de personalidade na decoração.


SW 6443 Relish – Verde refrescante, calmo e tranquilo. Esta é uma cor muito ligada à natureza a ao sentido de vida que esta nos traz. Por analogia, é uma cor associada à esperança e, a primavera fortalece a esperança na renovação. Relish é um tom de verde muito apropriado para ser usado em ambientes de muita permanência.



SW 6816 Dahlia – Um lilás escuro mágico e encantador. Uma cor que mescla as características do vermelho com o azul. É uma cor rara na natureza, sendo encontrada apenas em flores, o que lhe confere um ar de mistério e excentricidade. Uma excelente cor para ser usada em contraste com o amarelo em busca de trazer equilíbrio ao ambiente. 



Envolva-se por esta seleção de cores especial e garanta para sua casa a energia desta estação cheia de vida e tão rica em cores. E uma dica para finalizar: na primavera cultive, além das flores, o bom humor!



Leucemia: tipos, sintomas e diagnóstico

Dos tipos de câncer que afetam o sangue, a leucemia é a mais conhecida. A idade de acometimento varia de acordo com o subtipo de leucemia, que, em linhas gerais, se divide em mielóide e linfóide, de acordo com a célula afetada. Em ambas as categorias, ela pode ser qualificada com sendo aguda ou crônica, considerando a velocidade de divisão dessas células e, portanto, a agilidade com a qual a doença se desenvolve, explica a Dra. Mariana Oliveira, hematologista do Centro Paulista de Oncologia - CPO, do Grupo Oncoclínicas.

As Leucemias Agudas podem ocorrer em todas as faixas etárias sendo que a LLA (Leucemia Linfóide Aguda) tem maior incidência na infância e juventude. Estima-se que a condição corresponda a 33 de cada 100 diagnósticos em pacientes de 0 aos 18 anos, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Já a LMA (Leucemia Mielóide Aguda) é o tipo mais comum de Leucemia em adultos, correspondendo a 80% dos casos neste grupo.

"A leucemia afeta inicialmente a medula óssea – tecido mole que fica dentro dos ossos e é responsável por produzir glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas -, fazendo com que as células sanguíneas passem a se reproduzir de forma descontrolada e gerando o comprometimento da fabricação normal do sangue. Sendo assim, ocorre anemia, diminuição da imunidade e aumento do risco de sangramentos", esclarece a Dra. Mariana Oliveira.

Segundo a especialista, não se trata de uma condição hereditária. "Não existe como apontar as causas exatas que permitam a prevenção para todos os indivíduos. Por isso, a melhor forma de deter o avanço da leucemia é o diagnóstico precoce", destaca a Dra. Mariana.

Fique atento aos sintomas

Alguns fatores, como a exposição a produtos químicos, principalmente os derivados de benzeno, e à radiação em altos níveis, assim como algumas doenças genéticas como anemia de Fanconi e outras que afetam o sangue, podem elevar o risco de incidência da doença. Ainda assim, estes são apenas fatores que podem contribuir para o surgimento da leucemia, mas não são regra. Diante disso, o principal conselho da hematologista é que seja dada atenção aos sinais que podem ser indícios da doença.

"Os sintomas das leucemias agudas incluem palidez, cansaço e sonolência, uma das consequências da queda na produção de glóbulos vermelhos (hemácias) e consequente anemia. Manchas roxas que surgem aparentemente sem traumas, pequenos pontos vermelhos na pele e/ou sangramentos mais intensos e prolongados após ferimentos leves também podem surgir em decorrência da diminuição na produção de plaquetas", diz a Dra. Mariana.



A redução na imunidade ocasionada pela baixa quantidade de glóbulos brancos faz ainda com que a pessoa apresente infecções constantes e febre. "Dores ósseas e nas juntas, que podem dificultar a capacidade de locomoção, dores de cabeça e vômitos são outros possíveis sintomas que não devem ser ignorados. Outro indício da doença pode ser ainda a perda de peso", afirma.

A Dra. Mariana frisa, contudo, que as leucemias crônicas são comumente descobertas por alterações identificadas no hemograma - exame de sangue que deve ser realizado periodicamente como parte da rotina, já que dificilmente apresentarem alterações evidentes à saúde. "Apenas em estágios mais avançados podem ocorrer sintomas similares aos casos agudos", pontua a especialista do CPO.

Para definir o diagnóstico, é recomendada a coleta de medula óssea para exames específicos (mielograma, biópsia, imunofenotipagem e cariótipo). Outros estudos complementares podem ser sugeridos, de acordo com a subclassificação a ser estabelecida e análise de risco, para que seja assim definido o tratamento a ser adotado. Em geral, as leucemias são tratadas com quimioterapia. De acordo com os resultados obtidos com a quimioterapia, pode ser indicado o transplante de medula óssea.

6 dicas para manter a saúde dos seus joelhos

O joelho pode ser acometido por diversas doenças e avarias, como torções ou entorses, as contusões, os traumas, o desgaste (artrose), entre outras. Essas lesões podem comprometer todas as estruturas internas do joelho, como ligamentos, cartilagens, tendões, bursas e meniscos. Muitas pessoas, independentemente do sexo ou idade, têm dores frequentes nos joelhos e, por isso, é importante consultar um especialista antes de iniciar uma prática esportiva. O ortopedista, Dr. Charles Cachoeira – especialista em Cirurgia do Joelho do CECAM (www.cecam.com.br), nos apresenta cinco dicas para cuidar da saúde dos joelhos. Confira!

1- Faça Atividade Física: fazer exercícios regulamente é um dos cuidados mais importantes para todo o corpo. Quando se pratica algum esporte, é necessário que todas as estruturas trabalhem de maneira harmoniosa para evitar o surgimento de lesões. Realizar atividades físicas progressivas e, inicialmente, sem impacto até o fortalecimento adequado da musculatura, parece ser a melhor forma de prevenir a sobrecarga articular.



2- Procure sempre a orientação de um treinador: ao iniciar qualquer atividade física é importante ter o acompanhamento de um profissional capacitado. Atividades de impacto, como a corrida, podem não ser indicadas para pessoas que já tiveram traumas nas articulações dos membros inferiores. Esportes aquáticos já são excelentes para esses casos, pois diminuem muito a carga.

3– Escolha o calçado adequado: precisam ser confortáveis e estar em boas condições de uso, mas é muito importante se atentar na escolha do tênis para a prática de qualquer exercício. Os mais indicados são os que possuem salto pequeno, solado macio, que seja capaz de absorver impacto. Já calçados muito baixos ou muito altos podem ocasionar problemas de estabilidade nas articulações. Procure um profissional que possa indicar um calçado ideal para cada tipo de pisada e esporte.

4– Faça aquecimento e alongamento: músculos e articulações não aquecidas sofrem lesões mais facilmente. Estudos comprovam que não basta ter músculos e joelhos fortes, eles precisam estar bem aquecidos e alongados para deixá-los com boa flexibilidade para todos os movimentos que podem ser necessários na prática esportiva.


5- Respeite seus limites: comece com um treino leve e aumente a carga, impacto e a duração de forma gradual. É necessário ter cuidados na sobrecarga nas articulações. Se durante ou depois de algum exercício, sentir dor intensa ou dor persistente por muito tempo, é importante procurar um médico. Dores nas articulações não devem ser ignoradas.



6– Mantenha seu peso: mantenha-se sempre na faixa de peso ideal, pois estar com alguns quilos a mais, aumenta a sobrecarga, facilitando o aparecimento de lesões nos joelhos. A perda de peso é muito útil para pacientes obesos, pois reduz a dor e melhora a função.


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...