segunda-feira, 3 de julho de 2017

Novidades O Boticário para os homens: novo perfume Zaad Mondo

Zaad Mondo é a nova fragrância masculina amadeirada da marca O Boticário, que traz ingrediente exclusivo o Juniper, uma fruta (berry) originária das regiões frias e montanhosas da região do Balcãs, no sudeste da Europa. 

Assim, o novo eau de parfum combina notas amadeiradas e de especiarias aromáticas ao toque levemente frutado do exclusivo acorde Blue Juniper, criando uma combinação sofisticada e inovadora para o mercado brasileiro. A combinação inédita traz, ainda, o cítrico do grapefruit, a tonalidade verde do cipreste e o contraste quente e amadeirada da noz moscada.  A fragrância será comercializada em frasco de 95 ml e desodorante antitranspirante aerosol. 

Confira os detalhes da composição olfativa: família Amadeirado AromáticoNotas saída: bergamota, absinto, cardamomo, acorde Blue Juniper e maça verde.
Notas de Corpo: violeta, gerânio, frésia, lavanda, hedione e sálvia.
Notas de fundo: vetiver, patchouli, baunilha, sândalo, cedro e musk.

A embalagem traduz a sofisticação de Zaad Mondo. O tom azul e a textura do cartucho têm inspiração no passaporte e no universo das viagens. No interior da caixa, o toque especial de carimbos de diversos países reforçam o convite para viajar pelo mundo.

Para o lançamento de Zaad Mondo, O Boticário traz uma promoção especial para esse homem moderno que adora conhecer o mundo. A marca vai sortear uma viagem de volta ao mundo, com direito a acompanhante – com valor equivalente a R$ 200 mil. Para participar, é preciso comprar qualquer eau de parfum da linha Zaad e fazer a inscrição cadastrando o código de barra no site boticario.com.br/promocaozaadmondo. O concurso é regulamentado pela Caixa Econômica Federal, número 4-0439/2017, e o sorteio acontece em 2 de agosto.

Fonte: Kantar Worldpanel, Share Valor no Painel Nacional de Consumidores, Full Year 2016 – T.Fragrâncias

SERVIÇO:
Zaad Mondo, Eau de Parfum, 95 ml
Preço sugerido: R$ 199

Antitranspirante aerossol 75 g,
Preço sugerido: R$ 27,90

domingo, 2 de julho de 2017

Saúde bucal: Saiba mais sobre a Estomatite Aftosa Recorrente

Estomatite aftosa recorrente é o nome de uma doença comum, que acomete a cavidade oral, e atinge principalmente jovens entre 10 e 19 anos – embora possa surgir em qualquer fase da vida de um indivíduo, inclusive em bebês. Trata-se de uma condição muito dolorosa, já que há presença de múltiplas aftas na mucosa interna da boca – o que impede o paciente de se alimentar adequadamente e, em alguns casos, costuma favorecer episódios de febre. O período mais crítico costuma durar entre sete e dez dias.

Apesar de ser muito comum, as causas da estomatite ainda são incertas. Por isso, o tratamento visa ao alívio do paciente no que se refere à dor, bem como tentar aumentar os períodos livres da doença e acelerar o processo de cura das aftas. De acordo com Luiz Alexandre Thomaz, professor de pós-graduação em Estomatologia e Patologia Bucal da FAOA – Faculdade de Odontologia da APCD (Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas), a estomatite pode resultar de fatores genéticos, bem como da deficiência de ferro, vitamina B12 e ácido fólico. Também pode ser causada por estresse, traumas, doença celíaca e uso de determinados medicamentos.


As aftas, ou úlceras, se formam geralmente na mucosa da face interior dos lábios e da bochecha, bem como na língua, na parte posterior do céu da boca e inclusive no começo da garganta. São pequenas, rasas, arredondadas, e têm coloração amarelo-acinzentada com bordas vermelhas. Num quadro de estomatite aftosa, é comum que se formem grupos de três ou quatro úlceras por local. Apesar de desaparecerem entre dez dias e duas semanas, o paciente precisa contar com um cirurgião-dentista para que, depois do diagnóstico, possa ter algum alívio ao incômodo intenso. Além de analgésicos e antitérmicos, o especialista poderá prescrever corticosteroides tópicos, medicamentos para fortalecer o sistema imunológico, além de enxaguantes bucais que ofereçam algum alívio à dor. Há pacientes que podem se beneficiar inclusive da suplementação com vitaminas B1, B2, B6 e B12, além de ácido fólico ou ferro”, diz Thomaz.

O especialista afirma que, como a produção de saliva protege a mucosa oral, a síndrome de boca seca (xerostomia) é outro fator que predispõe à estomatite. Sendo assim, pessoas com mais de 60 anos – que geralmente produzem metade da saliva de um jovem – têm de estar atentas para o surgimento de aftas recorrentes. Em determinados casos, seu médico poderá promover a substituição de um medicamento por outro, que não predisponha o paciente às inflamações e ulcerações bucais. 

Pessoas que fizeram quimioterapia, bem como portadores do vírus HIV (Aids), também têm risco aumentado para estomatite. “É sempre muito importante que pacientes que sofrem de estomatite aftosa recorrente sejam acompanhados por uma equipe multidisciplinar, já que essa condição é influenciada por vários fatores, às vezes associados a outras doenças. De todo modo, em mais de 40% dos casos, fatores genéticos estão envolvidos”.

Doenças respiratórias: asma x bronquite x pneumonia

O blog Glamour e Felicidade entrevistou o Dr. Flávio Sano – vice-presidente da ASBAI – Associação Brasileira de Alergia e Imunologia sobre asma e outras doenças respiratórias. Esperamos que goste dos esclarecimentos e deixe seus comentários no post. Em breve, publicaremos mais informações sobre doenças respiratórias em novos posts.

Como saber se é asma, bronquite ou uma pneumonia?A asma é uma doença inflamatória que acomete os brônquios de indivíduos geneticamente suscetíveis. Pode ser alérgica ou não. Apresenta crises de espasmos brônquicos caracterizada por tosse, chiado no peito, opressão torácica, falta de ar e queda da oxigenação do sangue. É necessário o uso de medicações broncodilatadoras para alívio dos sintomas e tratamento com medicações anti-inflamatórias (corticoides inalatórios principalmente), para controle da doença.

Bronquite crônica é uma doença que acomete idosos, em geral fumantes, e é necessário fazer o diagnóstico diferencial com DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica). Erroneamente a asma é chamada de bronquite em algumas regiões do Brasil.

Pneumonia é uma infecção que acomete os pulmões. Podem ter etiologia viral ou bacteriana. É caracterizada por tosse, febre, dor torácica e nos casos mais graves falta de ar. Se a etiologia é bacteriana deve ser tratada com antibióticos.

Para o diagnóstico preciso de qual doença o paciente está acometido e, principalmente, para a determinação se a origem é alérgica, deve-se sempre procurar o médico especialista em alergia.



Como lidar com casos de asma crônica?A asma é uma doença brônquica inflamatória. Para o seu tratamento de manutenção (a longo prazo) e assim proporcionar o controle da doença, é necessário utilizar medicações anti-inflamatórias como os corticosteroides inalatórios, anti-leucotrienos e, mais recentemente, para os casos mais graves, um medicamento anti-IgE (imunoglobulina E). O paciente necessariamente precisa ser assistido de perto por um médico especialista. Nos casos de asma alérgica, o especialista é um alergista.

Como fazer o diagnóstico da asma?
O diagnóstico da asma é predominantemente clínico (realizado por um médico) e se baseia na presença dos sintomas de tosse (seca ou com eliminação de muco transparente semelhante à clara de ovo), chiado no peito, falta de ar, sensação de aperto no peito de forma repetida ou contínua, pela presença de histórico pessoal ou familiar de doenças alérgicas (a própria asma em pais ou outras doenças como rinite e dermatite atópica) e pela melhora dos sintomas com o uso de medicamento que dilata os brônquios (broncodilatadores). 

Existem fatores que levam às crises de asma?
Os sintomas, em geral, são desencadeados pela inalação de substâncias da poeira, odores fortes irritativos para as vias respiratórias (perfumes, produto de limpeza), fumaça de cigarro, ar frio e seco (ar refrigerado), exercícios/brincadeiras ou infecções respiratórias (resfriados e gripes). Contudo, outros exames podem ajudar a confirmar essa suspeita, como a espirometria (exame de sopro). Em muitos pacientes, a asma pode ser acompanhada por sintomas no nariz (rinite) tais como coceira, espirros, coriza e fungação. Testes alérgicos deverão ser realizados para verificar se a doença tem uma natureza alérgica ou não. Diante desses sintomas, é provável que se trate de asma e o médico deve, então, avaliar se o paciente tem alergia (por meio de testes alérgicos na pele ou no sangue) e também realizar uma prova de função respiratória, a espirometria, para avaliar o grau de comprometimento da função dos pulmões.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...