domingo, 20 de outubro de 2013

Saúde: OS RISCOS DO ÁLCOOL NA GRAVIDEZ E NA FERTILIDADE


Mulheres grávidas não devem consumir álcool. E os motivos para tal recomendação é que, em apenas dez minutos, a bebida pode atuar sobre o bebê, já que, possui livre passagem pela placenta. Além disso, durante a gravidez, o fígado do bebê, que está em formação, metaboliza duas vezes mais lentamente o álcool ingerido pela mãe, comprometendo, assim, seu desenvolvimento saudável. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada ano, 12 mil bebês no mundo nascem com a Síndrome do Alcoolismo Fetal (SAF).



A ginecologista especialista em Reprodução Humana da Criogênesis, Dra. Paula Bortolai, explica que a SAF traz consequências irreversíveis. “O problema pode comprometer o crescimento intrauterino, ocasionar distúrbios do comportamento, má formação na face e membros inferiores, má formação cardíaca e, ainda, aumento da taxa de mortalidade”. A médica alerta também que, em alguns casos, os sintomas como defeitos físicos não são aparentes no nascimento, porém, o bebê pode apresentar sequelas perceptíveis, como alteração de peso, ou ter implicações durante a infância.   

Além de trazer sérias consequências à saúde do bebê, o álcool não deve ser consumido pela mulher durante o tempo de amamentação. “Nas crianças, a substância afeta o sistema imunológico, a fome e o sono, interfere na capacidade de sucção e ainda diminui o aporte de vitamina A, uma das responsáveis por defender o organismo contra infecções. O mais indicado é que a mãe corte de vez qualquer dosagem alcoólica nessa fase”, orienta a médica.

INFERTILIDADE – O consumo excessivo de álcool deve ser evitado pelo casal que deseja engravidar, já que, a bebida pode comprometer a fertilidade feminina e, nos homens, afetar a qualidade do esperma e reduzir os níveis de testosterona. “O álcool, por si só, já é um grande inimigo da saúde. Nas mulheres, por exemplo, pode causar falha da menstruação e da ovulação, diminuição da libido e a infertilidade”, esclarece a especialista.

Nos casos em que o casal enfrenta problemas de fecundidade e decide optar pelos tratamentos de reprodução assistida, a Dra. Paula alerta, primeiramente, para mudanças no estilo de vida. “Nesses casos, o primeiro passo é adotar hábitos saudáveis e evitar a ingestão de bebidas alcoólicas e demais substâncias que, de alguma forma, trazem efeitos negativos à saúde. Vale lembrar que, a gravidez é o desejo de muitos casais. Sendo assim, qualquer esforço para a realização desse sonho vale à pena”, finaliza a médica.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...